Álbum de figurinhas da Copa Feminina de Futebol encalha nas bancas

Comerciantes dizem que problema ocorre por falhas na divulgação; Panini nega

Equipe InfoMoney

Álbum de figurinhas da Copa Feminina 2023 (Divulgação)

Publicidade

A Copa Feminina de Futebol começou nesta quinta-feira (20), mas já faz semanas que o álbum de figurinhas das jogadoras que disputam o Mundial está disponibilizado nas bancas de jornal, mas a procura de consumidores pelo produto segue baixa, segundo representantes dos estabelecimentos consultados pelo InfoMoney em diferentes estados.

José Martins, proprietário da Banca Paulista, em Goiânia, afirma que a procura pelos cromos está muito baixa. “Comprei 1.200 cromos e vendi 300 no total”. Segundo ele, no ano passado, quando quem disputava o torneio era a seleção masculina, sua banca vendia cerca de 10 mil figurinhas por dia. “Era gente o dia todinho e acabava rápido. Era preciso fazer muitos pedidos. E, até hoje, eu vendo mais figurinha da Copa do ano passado do que dessa”, complementa.

Martins também reclama da divulgação do álbum em sua cidade, muito inferior à do ano passado. “Entregavam no mercado, na porta de escolas. Isso não aconteceu agora”.

Masterclass Gratuita

Rota Liberdade Financeira

Aprenda a investir e construa um patrimônio do zero com o treinamento exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Graziely Ramos, vendedora na banca de jornal na Mooca, bairro da zona leste de São Paulo, relata que até agora vendeu três pacotes de figurinhas da Copa Feminina. “Chegou pouco aqui para gente, um volume muito menor do que as milhares do ano passado, e estão estacionadas”, diz.

Já Wagner Araújo, gestor da Banca do Paul, tradicional no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro, decidiu não comprar as figurinhas nesse ano. “Antes de introduzir um produto, eu faço uma pesquisa com minha clientela da região. E fazendo esse levantamento, percebi que não haveria demanda, então optei por não vender essas figurinhas”, conta.

Nesta 9ª edição da Copa Feminina, o valor por pacotinho com cinco cromos é o mesmo da Copa do Mundo masculina de 2022, R$ 4. Já o preço do álbum-padrão, de brochura, com 80 páginas encareceu 25%, para R$ 15,00, enquanto o álbum de capa dura agora sai a R$ 54,90, um aumento de 22,3% – muito acima da inflação acumulada de pouco menos de 4% entre novembro de 2022 e agora informada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Continua depois da publicidade

Em comparação com a edição passada do álbum da Copa feminina, os preços cresceram 68,5% (álbum-padrão) e 60% (capa dura), respectivamente. A inflação acumulada de junho de 2019 até junho de 2023 é de 27,7%, também de acordo com o IBGE.

Ao Infomoney, a Panini (editora responsável pela publicação) informou que está divulgando o Álbum da Copa Feminina em diferentes frentes, como a ação promocional junto a um jornal impresso de circulação nacional, que presenteou os assinantes com uma unidade do produto no último domingo, e a campanha de divulgação com a rainha Marta, a jogadora seis vezes eleita a melhor domundo pela Fifa, a entidade máxima do futebol.

A história do álbum de figurinha da Copa do Mundo feminina é recente. O produto foi comercializado pela primeira vez em 2011. A versão de 2023 representa, portanto, a quarta edição.

Álbum digital da Copa Feminina de Futebol 2023

Álbum digital

Neste ano, uma versão digital inédita do álbum de figurinhas da Copa do Mundo FIFA de Futebol Feminino 2023 da Panini também está disponível para colecionadores em FIFA.com e pode ser acessado por meio de um aplicativo próprio.

Além disso, usuários cadastrados podem reivindicar um pacote digital de bônus todos os dias pelo aplicativo, que também permite troca de figurinhas. Segundo a Panini, aqueles que conseguirem completar todo o álbum digital também terão a oportunidade de participar de um sorteio.