Payroll ajudou. Agora vamos de COPOM.

Por  Alexandre Aagesen
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

No final do século 19 existiu uma escritora chamada Florence Balcombe. Se você não souber nada sobre ela, deve ser suficiente saber que Oscar Wilde e Bram Stoker eram seus pretendentes. Se você não souber nada sobre eles (recomendo ler mais), é suficiente aceitar que ela deve ter sido uma mulher incrível. Ela escolheu Stoker (claro, até eu que sou mais tonto), e o final da história do Wilde é conhecido. Tão conhecido quanto é desconhecido o final da história desse mini-bull market que estamos vivendo. Payroll ajudou na sexta – e que bela ajuda – empurrando mais um pouco os juros pra baixo e as bolsas para cima. Se a Ásia for um bom termômetro, é em geral é, hoje estamos começando mais um dia positivamente. O terceiro, desde que a Yellen e o Powell decidiram nos agraciar com uma pivotada das boas! Diferente da Balcombe, preferimos o bonitão Dorian Gray ao pioneiro Drácula (no tema, não no livro – Drácula é bem melhor).

Julio Verne, o grande escritor francês que mudou drasticamente o cenário da literatura fantástica de sua época, pioneiro da ficção cientifica, se inspirou muito em dois outros grandes escritores franceses. Alexandre Dumas (xará) e Victor Hugo. Ficção essa que raramente supera a realidade. Realidade essa que escarnece de nosso senso crítico. Especialmente quando vemos a McLaren de novo no lugar mais importante do pódio. Maravilhoso um domingo sem o hino da Holanda, com todo respeito ao lar das tulipas – mas já estava cansando. Outra realidade que supera qualquer ficção é a agenda da semana, principalmente com o COPOM bem no meio. É muito raro uma reunião de fato com dúvida, mas essa semana temos uma. A última ata promete 50 bps. Os discursos recentes (e a maioria do mercado), prometem 25 bps. Escolha seu lado: Lando (0,50%) ou Max (0,25%). Meu voto é Noris.

Alexandre Dumas e Victor Hugo, as inspirações do Verne, eram amigos e participavam de jantares literários que, com frequência contavam com a culinária do próprio Dumas. Pensar que existe gente que escreve livros como O Conde de Monte Cristo e Os Três Mosqueteiros, e ainda sabe cozinhar, renova minhas esperanças na humanidade. Porém, do outro lado – e ganhando muito melhor – ter pessoas que não conseguem seguir um roteiro numa entrevista e comunicar direitinho o que ficou combinado, como Jerome, me retorna rapidamente ao meu ceticismo de sempre. O cara capitulou (agora pra mais cortes) de novo. É a terceira vez esse ano (e hoje ainda é dia seis de maio).

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui.

Alexandre Aagesen Com mais de 16 anos de mercado financeiro, é CFA Charterholder, CAIA Charterholder, autor do livro "Formação para Bancários", professor convidado e Investor na XP Investimentos

Compartilhe

Mais de One Page

One Page

“Já tava bom, mas tava meio ruim também, agora parece que piorou”

O Brasil não perde uma oportunidade de perder uma oportunidade. Essa frase não é minha, é do Roberto Campos (Avô). Mas ontem essa frase não saiu da minha cabeça. A gente estava precisando de uma boa notícia. Depois do Non-Farm Payroll da semana passada, o mercado realmente precisava. Puxa, eu precisava. Em dia de FOMC, […]
One Page

Na dúvida, precisamos de um Braço Forte

“Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade”. Assim disse Neil Armstrong, o astronauta, momentos antes de ser o primeiro homem e – até onde sabemos – primeiro ser vivo a pisar na lua. Agora Fernando Haddad tem um desafio ainda maior para a humanidade. Ele pretende apresentar um pacote de […]
One Page

De mal a pior

Nenhum problema nasce grande. Mas se você regar direitinho, ele cresce que é uma beleza.
One Page

Sobre expectativas e bolhas

“Unânime”: consenso total, onde todos os membros de um grupo concordam plenamente, sem discordância. Essa é a definição da palavra. Ontem o BCE votou por um corte de 25 bps. Segundo a Lagarde a decisão foi “unânime, a não ser por um votante”. Bom, então não foi unânime, né Lagarde? 9 em cada 10 dentistas […]
Modi participa de comício em Meerut, na Índia 31/03/2024 REUTERS/Anushree Fadnavis
One Page

Quando a lógica não se sustenta

Vamos partir de uma fórmula simples. a=b. Multiplicando os dois lados por a, temos a²=ab. Agora somamos nos dois lados a²-2ab e chegamos em a²+a²-2ab=ab+a²-2ab, ou simplesmente, 2(a²-ab)=a²-ab. Divida os dois lados por a²-ab e descubra que 2=1. Obviamente existe uma falha importante nessa lógica. 2 não é de fato igual à 1, como imagino […]