Fechar Ads

Pauta surpresa no CMN

O Conselho Monetário Nacional se reúne hoje meio de surpresa. As decisões saem depois do fechamento de mercado.
Por  Alexandre Aagesen
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Você vai no médico, fala da gripe, da dor de cabeça e da tendinite. Acabou a consulta, o dr. pergunta “algo mais?” só para ser simpático. Aí você lembra da verruga verde de 7cm que está crescendo na sua virilha. Mais cedo nessa semana, o CMN cancelou a reunião “por falta de pauta”. Ai o Nandinho lembrou da verruga. Resultado, hoje vai ter uma reunião extraordinária de emergência para discutir uma “pauta não divulgada”. As decisões saem depois do fechamento do mercado. Boa sorte passando o final de semana posicionado. E ainda ontem saiu o PCE: mais baixo que o esperado, rodando em 12 meses confortavelmente entre 2,4% e 2,9% (headline e Core). Pode cortar Jay! (mas não vai).

Falando em “não vai ter corte”, olha para o Japão querendo botar as asinhas de fora. Depois da fala do Takata, do Banco Central japonês, o mercado estima uma chance maior (ok, são só 26% de probabilidade, mas mesmo assim) de um aumento de juros curtos – para incríveis 0% (você deve lembrar que Japão ainda tem policy rates negativos). Depois de errar 8453 vezes seguidas, agora o mercado acredita que podemos ter alta de juros lá: mas ninguém sabe exatamente o tamanho do impacto disso. E temos outra má notícia para os bancos regionais nos EUA. NY Community Bank caiu 20% no after ontem depois de encontrar “relevantes fraquezas nos controles internos” (tem cheiro de fraude, cara de fraude, faz barulho de fraude, mas – por enquanto – são só fraquezas nos controles). Esse é o banco que comprou o Signature Bank, que quebrou a menos de um ano. Como diria o Visconde de Sabugosa: “Marmelada de banana, bananada de goiaba, goiabada de marmelo”. E isso tudo, há semanas de acabar o programa do Fed de liquidez para os bancos. Que delícia!

Veja também o discurso da Yellen no G20 Financeiro: Elogiou o Caputo pelas reformas na Argentina; elogiou o Brasil na transição verde; elogiou o setor privado brasileiro; elogiou o Haddad pela reforma tributária; elogiou a economia americana (foi antes do NY Community) e descartou recessão: “está indo extraordinariamente bem”. Sobraram elogios, faltou olhar o mundo. E pior que acredito de verdade que ela não estava sendo irônica!

Talvez você já saiba e talvez até já tenha assistido alguns, mas mensalmente existe uma live para clientes do canal direto da XP, que antecipa (ou pelo menos tenta) os principais tópicos que serão discutidos no mercado, no mês seguinte, o Trending Topics mensal. Fui convidado e vou participar do de hoje, às 17h, junto com o Caio Peres, CFA, a Renata Heinemann e o Pedro Santili. Esse é o link para inscrição e fica meu convite. Até já.

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Alexandre Aagesen Com mais de 15 anos de mercado financeiro, é CFA Charterholder, autor do livro "Formação para Bancários", host do podcast "Mercado Aberto" e Investor na XP Investimentos

Compartilhe

Mais de One Page

One Page

PLDO fez preço, mas menos do que você pensa

Se alguma vez você participou de um processo orçamentário – particularmente numa cadeira de Finance – você deve ter o sentimento de que participou de um a mais do que gostaria. No meu caso, entre 2011 e 2021 eu participei de 10. São chatos, trabalhosos, sub-ótimos em termos de precisão e politicamente desafiadores. O único […]