McCarthy sai da presidência; JOLTS; e Olho na OPEP

Depois de votação histórica no Congresso americano, McCarthy deixa a liderança da casa. JOLTS fizeram preço (pra baixo) ontem. E hoje, olho na reunião OPEP.
Por  Alexandre Aagesen
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Janeiro de 2023: a casa dos representantes (Congresso) dos EUA está sem líder. A maioria dos congressistas são do partido Republicano e podem escolher qualquer um deles para o cargo, mas 14 rodadas de votação já se passaram, e não há maioria formada. O favorito, Kevin McCarthy, costura acordos dentro e fora do seu partido e, finalmente, consegue a tão esperada maioria. Ufa! Setembro de 2023: a Câmara discute o orçamento do governo. Já foram várias idas e voltas e o impasse é claro. A maioria Republicana pede mais corte de gastos, mas sem a minoria Democrata, não consegue aprovar a lei. Em cima da hora, McCarthy abre mão da exigência de cortes mais duros e aprova a lei que vai manter o governo aberto (pelo menos por mais 45 dias). Ufa! Outubro de 2023 (3 dias depois da aprovação): Republicanos insatisfeitos com o que entendem por alinhamento do McCarthy com os democratas, pedem sua saída e, numa votação com margem de apenas 6 votos, conseguem. Mais uma vez, câmara sem um líder. Vamos à mais uma(s) rodada(s) de votação até conseguir um novo. Bem, ainda bem que o país (EUA) ta num momento tranquilo, nem precisa da Câmara trabalhando a pleno vapor, certo?

Mas o tom do mercado já estava azedo desde muito antes disso. Logo pela manhã o relatório JOLTS, de abertura de novas vagas de emprego, já deu uma notícia que parece boa, mas talvez não nesse momento. Número de vagas criadas surpreendeu bastante o mercado. Esperavam 8.9 milhões e vieram 9.6 milhões de novas vagas. Do ponto de vista de pessoas empregadas, fantástico, mas nos níveis atuais de desemprego (baixos) nos EUA, e com medo de novas pressões inflacionárias (Curva de Phillips), tivemos nova pernada de (ele mesmo) juros longos pra cima, e preço de ativos pra baixo. E foi forte. Vale ver o VIX e o MOVE como se comportaram (abaixo).

Tirando o que ta ruim, o resto ta tudo bem, né? “Hold my beer” – diz MBS (Mohammad bin Salman). Deixe-me dar um passo pra trás: Você já deve ter visto algum gráfico recentemente mostrando juros longos dos EUA contra algum outro ativo (ou contra a perspectiva de bônus – como diriam conversas de “Elevador na Faria Lima”). Sim, eu sei, estamos todos cansados de falar de juros de 10 anos, mas não, infelizmente hoje não vai ser diferente. Mas dessa vez quero falar de algo que está puxando esses juros pra cima: o petróleo. E por que hoje falamos de petróleo? Porque hoje é a reunião da OPEP, e o MBS é o cara da OPEP. Ele é a última gota de petróleo do pacote. O sonda das galáxias. O macacão da broca azul. O Michael, em The Jackson 5. Consegue imaginar como esse cara acordou hoje?

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Alexandre Aagesen Com mais de 16 anos de mercado financeiro, é CFA Charterholder, CAIA Charterholder, autor do livro "Formação para Bancários", professor convidado e Investor na XP Investimentos

Compartilhe

Mais de One Page

Gabriel Galípolo, consultor econômico da campanha de Lula nas Eleições 2022 (Reprodução/Instagram)
One Page

Second Level Thinking

Existe um conceito muito interessante que o Howard Marks prega, que todos deveríamos usar o tempo todo, e que ontem tivemos amplas oportunidades de praticar. Second Level Thinking. O pensamento de primeiro nível é linear, simples e razoavelmente superficial. Segundo o próprio Marks, quase qualquer um pode fazê-lo. Você vê um acontecimento e sabe a […]
One Page

Políticas

Quando a Política Fiscal se encontra com a Política Monetária e as duas se encontram com a Política.
One Page

Sinuca de Bico

Sinuca de bico: ocorre quando no jogo de bilhar a bola com que se joga fica encostada à caçapa, sem ângulo para bater nas outras bolas. É uma metáfora consagrada que define uma situação sem saída.
One Page

Olimpíadas

Se você chegou aqui atrás de notícias dos jogos olímpicos, sinto tê-lo iludido. Não vai ter nada disso aqui.
One Page

“Já tava bom, mas tava meio ruim também, agora parece que piorou”

O Brasil não perde uma oportunidade de perder uma oportunidade. Essa frase não é minha, é do Roberto Campos (Avô). Mas ontem essa frase não saiu da minha cabeça. A gente estava precisando de uma boa notícia. Depois do Non-Farm Payroll da semana passada, o mercado realmente precisava. Puxa, eu precisava. Em dia de FOMC, […]
One Page

Na dúvida, precisamos de um Braço Forte

“Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade”. Assim disse Neil Armstrong, o astronauta, momentos antes de ser o primeiro homem e – até onde sabemos – primeiro ser vivo a pisar na lua. Agora Fernando Haddad tem um desafio ainda maior para a humanidade. Ele pretende apresentar um pacote de […]
One Page

De mal a pior

Nenhum problema nasce grande. Mas se você regar direitinho, ele cresce que é uma beleza.
One Page

Sobre expectativas e bolhas

“Unânime”: consenso total, onde todos os membros de um grupo concordam plenamente, sem discordância. Essa é a definição da palavra. Ontem o BCE votou por um corte de 25 bps. Segundo a Lagarde a decisão foi “unânime, a não ser por um votante”. Bom, então não foi unânime, né Lagarde? 9 em cada 10 dentistas […]