Vendas de carros de luxo disparam neste 1º quadrimestre

Marcas de luxo seguem tendo demanda mesmo com o cenário caótico do setor automotivo nacional

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Caros leitores, digníssimas leitoras: é mais do que fato que as vendas de veículos se encontram em trajetória de queda. A retração é de 27% no acumulado dos primeiros quatro meses do ano.

Só no mês de abril, as vendas foram de pouco mais de 51 mil unidades, o pior resultado do setor dos últimos 28 anos! A gente falou disso aqui.

Mas o que sempre é mais interessante no mercado automotivo é a dinâmica dos carros de luxo: quando falamos do adorável “mundo de Caras”, esses veículos sempre terão demanda!

PUBLICIDADE

O pessoal que orbita nesse universo pouco se importa se o dólar médio pulou de R$ 4 para quase R$ 6 de maio do ano passado até agora.

Como todos esses veículos desse segmento são importados, mesmo uma variação deste tamanho na moeda pouco representa nos anseios desse público.

Bom, vamos fundamentar a nossa teoria. Mas, antes de mais nada, é hora de delimitar o nosso escopo.

Quando falo em carro de luxo, você deve ter imaginado algum veículo do trio ABM (Audi, BMW e Mercedes), certo?

Vou um pouco além disso. Pego parte da NATA do “mundo de Caras”, que foge do trio ABM e compra veículos mais exclusivos e/ou que garantem mais status.

Neste caso, vamos fazer um top 3 de marcas que estão bombando neste ano.

PUBLICIDADE

TERCEIRO – O AGROBOY

Um dos segmentos que teve forte crescimento nas vendas nos últimos anos foi o de picapes, basicamente pelo certeiro lançamento da Fiat com a Toro.

Esses modelos tiveram uma grande evolução nos últimos anos, fazendo o pessoal que orbita no “Mundo de Caras” ter anseio/desejo por veículos desta categoria. E eles qual poderiam comprar?

Bem, existe a RAM 2500.

No acumulado do ano, a marca RAM exibe um crescimento de 77,9% nas vendas de SEU ÚNICO produto, que é uma picape.

A RAM 2500 é uma picape com o delicado motor CUMMINS (empresa especialista em motores para caminhões) de 6,7 litros turbodiesel. Ele gera mais de 360 cavalos com um torque de 110 kgfm. O carro não é apenas brutal… ele é o próprio capiroto!

Ela passou a ser a alegria dos AGROBOYS. Ou os AGROBOYS passaram a ser a alegria da RAM? Esse é o dilema de Tostines

PUBLICIDADE

Quanto custa esta picape? Por volta de R$ 330 mil. Lembrando apenas que é uma P-I-C-A-P-E, pela bagatela de 330 mil reais.

SEGUNDO – PORSCHE

Você pode até fazer parte do “Mundo de Caras” e possuir um carro tipo ABM. Mas para ser mais exclusivo, você precisará de um Porsche.

Neste ano, no período de janeiro a abril, 819 afortunados que compraram um veículo da marca no Brasil.

Seja o tradicional 911, o Cayenne ou o Panamera (que é o carro “família” da marca), esses felizardos pagaram a bagatela de pouco mais de meio milhão de reais.

PRIMEIRO – “A NATA”

Ok, você pode fazer parte do “Mundo de Caras”, ter um veículo ABM, ser um AGROBOY ou até mesmo ser um feliz proprietário de um PORSCHE. Mas, se você não tiver um McLaren na garagem, você não faz parte da NATA.

PUBLICIDADE

Sim, a McLaren é aquela montadora que possui uma escuderia de Fórmula 1 na qual Ayrton Senna registrou os seus maiores momentos de glória da carreira.

E quanto custam os carros da marca?

Os carros que foram vendidos tiveram preços anunciados que oscilaram entre R$ 1,5 milhão a R$ 8 milhões! Sim, teve algum caboclo que comprou um dos carros mais caros da marca.

E, por qual motivo a McLaren ficou no primeiro lugar no nosso Top 3? Porque a marca registrou crescimento de 600% nas suas vendas neste quadrimestre.

Moral da história: no mercado automotivo de luxo, dificilmente as marcas passam por perrengues pelos quais a maioria das marcas de volume vêm passando.

É lógico que algumas marcas de luxo sofrem mais do que as outras, como é o caso da Audi, que registrou queda de 34%.

Mas basta você subir a régua que o cenário vai mudando. A Lexus (da Toyota) registra queda de 7% e a mítica Ferrari até se encontra no “zero a zero” (as vendas não caíram e nem subiram).

Já o estagiário aqui ainda está tentando trocar o seu Gol batedeira — só não aceito Marea.

E aí, o que achou? Dúvidas, me manda um e-mail aqui. Ou me segue lá no Facebook, Instagram, Linkedin e Twitter.

Raphael Galante

É economista, trabalha no setor automotivo há 14 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.