Como sair de férias e voltar sem dívidas

Com IOF e dólar em alta, as famílias que pensavam em fazer uma viagem internacional devem rever seu planejamento e orçamento financeiro para não voltar com dívidas.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Nesse período de férias, é muito comum as famílias acabarem gastando mais do que planejavam, principalmente quando se faz viagens ao exterior. E, agora, mais um agravante: o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente nos pagamentos em moeda estrangeira feitas com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior, compras de cheques de viagem (traveller checks) e carregamento de cartões pré-pagos com moeda estrangeira aumentaram de 0,38% para 6,38%, igualando-se ao de cartão de crédito.

 

Além disso, se o passeio for para países que utilizam o dólar, a situação piora, pois a moeda está em alta – perto de R$2,37. Ou seja, para quem não se planejou, a melhor opção é adiar a viagem ou mudar o destino, já que a chance de se endividar é grande. Então, o primeiro passo nesse momento é rever o orçamento financeiro, considerando as altas. É preciso ainda revisar a programação que havia feito, as compras que planejava fazer, pois, muito provavelmente, terá que abrir mão de algumas coisas ou substitui-las por algo mais em conta.

 

Tudo passa pelo respeito à situação financeira em que se encontra, afinal de contas, todos sabem o quanto precisa trabalhar para conseguir o dinheiro que se recebe no final do mês. Se, após analisar as contas, chegar-se à conclusão de que terá que parcelar tudo relativo à viagem, recomendo que não a faça. A pior coisa é voltar de férias e perceber que está cheio de dívidas para pagar.

 

Elaborei algumas orientações para que se possa fazer a viagem com tranquilidade:

 

– Reúna a família para falar sobre a situação financeira, pois, quando todos estão cientes, fica mais fácil economizar;

– Inclua as crianças no planejamento da viagem. Acredite, elas compreendem muito mais do que imaginamos;

– Pesquise preço de pacotes de viagem e passagens de avião em, pelo menos, três lugares físicos e virtuais. Sempre consulte se possui milhas em seu cartão de crédito, pois isso ajuda, e muito, a diminuir os gastos;

– Procure não ultrapassar os limites da sua condição financeira. Muitas famílias transformaram o sonho das férias em verdadeiros pesadelos por não se planejar, chegando até à inadimplência;

– Se ficar pelo país e viajar de carro, faça uma revisão e verifique documentação e seguro. Tenha certeza das suas condições físicas antes de ir para a estrada;

– Caso vá sair do país, é imprescindível adquirir a moeda local, na seguinte proporção: 80% em cartão pré-pago e 20% em espécie. É interessante cada membro da família ter o seu cartão com os limites já estabelecidos na conversa tida anteriormente;

– Levar no máximo dois cartões de créditos, com vencimentos próximos e posteriores à data da viagem. Informe a operadora de cartões para que saiba que estará fora do país durante esse período;

– Qualquer que seja a viagem, do total do valor gasto deverá levar uma reserva de 30% a 50% a mais, uma vez que imprevistos e surpresas podem acontecer. 

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.