Como economizar na compra do material escolar

Material escolar representa uma boa parte dos gastos com as crianças no começo do ano. Por isso, é de extrema importância haver planejamento para que a compra não comprometa o orçamento, tranformando-se em dívidas.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
Lápis de colorir e apontador são itens do material escolar

O ano está terminando, mas os próximos meses serão de muitos gastos, e, para quem tem filhos, uma das preocupações é com o material escolar. Sempre surgem algumas dúvidas por parte dos pais sobre como economizar nessa compra. No entanto, o grande problema está na falta de educação financeira da maioria, o que dificulta na hora de negociar.

 
É de extrema importância que se respeite e valorize o dinheiro o que se ganha. Portanto, antes de qualquer coisa, aconselho que se faça um diagnóstico da vida financeira da família, para que se tenha ciência dos ganhos e dos gastos e se saiba exatamente o valor que poderá ser gasto para essa finalidade – a compra do material escolar.
 
Por causa da timidez, muitas pessoas têm dificuldade em pedir descontos, mas isso faz parte da negociação e é muito relevante que se faça. Outro aspecto fundamental é procurar fazer as compras com planejamento e tempo, para pesquisar preços tanto em lojas físicas quanto virtuais. Elaborei algumas orientações sobre o assunto. São elas:
 
1.         Procure conversar com outros pais e tentar fazer a compra em conjunto, pois, assim, a probabilidade de conseguir preços menores aumenta;
2.         Junte o material escolar do ano anterior e veja a possibilidade de reutilizá-los. É possível ainda reaproveitar livros didáticos do filho mais velho para o mais novo, se for o caso. Se não der, faça uma boa ação e doe o material para crianças ou jovens de famílias que não possuem condições de comprá-los; 
3.         Faça uma lista do que se precisa comprar, para não se perder e acabar rendendo-se aos impulsos consumistas, deixando de economizar; 
4.         Converse com os filhos antes de sair às compras, explicando a situação em que a família se encontra e quanto poderão gastar com os materiais. Caso contrário, será muito fácil ceder aos desejos deles e, com isso, gastar mais do que o planejado;
5.         Quando estiver na loja, seja sincero e explique ao vendedor de forma clara o que você precisa, buscando sempre a melhor opção de pagamento. Sempre pergunte quanto aquele produto custa à vista? Isso proporcionará bons descontos. Se tiver que pagar a prazo, veja se as parcelas caberão no orçamento mensal.
 
Comprar materiais escolares requer cuidados, mas o investimento vale à pena, pois é o que dará a base necessária para os estudos. Preocupar-se em economizar sem deixar de proporcionar o que a família precisa faz parte do processo de educação financeira. Passe esses ensinamentos aos pequenos, pois, se aprenderem agora, se tornarão adultos mais conscientes e saudáveis financeiramente. Boas festas e bom início de ano a todos!

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.