Cartão de crédito – cuidado com armadilhas dessa ferramenta

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

O cartão de crédito é uma ferramenta que gera opiniões muito contrárias. Uns adoram e não vivem sem, outros pensam que é um vilão para a saúde financeira. Mas, na realidade, é a falta de educação financeira da população que acaba levando a esses pensamentos extremistas.

 
O uso do cartão de crédito não é a salvação e nem o problema da vida financeira das pessoas. Não se pode contar com ele para tudo, sair parcelando todas as compras, contar com o limite e, na hora do vencimento, não ter dinheiro para pagar, tornando-se, além de endividado, um inadimplente. Os juros cobrados para quem paga a parcela mínima da fatura, por exemplo, são exorbitantes e podem fazer com que a situação piore consideravelmente. 
 
Por outro lado, não é preciso ter medo dele. Essa é uma ferramenta de compra que pode ser de muita utilidade. Além da facilidade em poder parcelar – com consciência – as compras de maior valor, há vantagens em utilizá-lo, como acumular milhas para poder viajar de avião ou então pontos para trocar por produtos. 
 
Felizmente, uma pesquisa do Datafolha, encomendada pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), divulgada recentemente, mostra que 85% dos entrevistados pagaram 100% do valor da última fatura do cartão de crédito. Além disso, 69% dos entrevistados utilizam parcelamentos do cartão sem juros. 
 
Essa é uma boa notícia, pois mostra uma conscientização em relação ao assunto, no entanto, gosto de ressaltar sempre que a melhor opção continua sendo o pagamento à vista, ou seja, se planejar para comprar, poupar e pagar à vista, conseguindo bons descontos e não comprometendo o orçamento financeiro dos meses seguintes.
 
É comum as pessoas comprarem sem se programar, por conta de alguma promoção ou impulso consumista, mas, quando chega a data do vencimento, não conseguem honrar com esse compromisso ou acabam tendo que trabalhar só para pagar as faturas e não conseguem realizar sonhos.
 
Esse é um assunto importante, que deve ser discutido e refletido, porque a quantidade de pessoas que literalmente se enrolam por conta de dívidas com o cartão de crédito ainda é grande, o que é preocupante. Por esse motivo, sempre reforço a importância da educação financeira, para mudar o comportamento em relação ao uso e à administração do dinheiro, o que ajuda a formar uma sociedade mais consciente e sustentável financeiramente.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.