93% dos casais cometem menos erros quando os dois cuidam das finanças

O número consta de uma pesquisa do UBS, que mostrou que 74% das mulheres tiveram uma surpresa financeira negativa quando se divorciaram ou ficaram viúvas

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre
Imagem de casal feliz; homem coloca uma moeda num cofre
(Shutterstock)

Uma dívida que ela não sabia que existia. Um patrimônio menor do que o esperado. Uma queda no padrão de vida.

Essas são descobertas comuns que uma mulher faz quando perde o marido, porque se divorciou ou ficou viúva. Para que você não ache que sou pessimista, tenho números para comprovar.

Um levantamento recente do banco UBS, que ouviu 3.700 mulheres ao redor do globo, mostrou que 74% das mulheres tiveram uma surpresa negativa financeira quando se divorciaram ou ficaram viúvas.

Que o diga a minha leitora que descobriu uma dívida de R$ 1,5 milhão no cartão de crédito dela.

O estudo do UBS revelou que 76% delas desejam ter se envolvido mais nas decisões financeiras do casal. O principal motivo de elas não terem feito isso enquanto eram casadas? 82% das entrevistadas disseram acreditar que seu marido entendia mais de investimento de longo prazo.

No Brasil, o número é ainda maior: 93%. Mas existem também outras razões.

Muitas entrevistadas disseram focar em outras responsabilidades (leia-se: delegavam a parte financeira para o marido), e diversas outras aceitavam não acompanhar o controle financeiro da família pois o marido ganhava a maior parte da renda do casal.

Algumas chegaram a dizer que não se interessavam por planejamento financeiro e investimentos.

Esse cenário leva a uma situação de dependência e vulnerabilidade entre as mulheres. Os homens, por outro lado, ficam com a responsabilidade (e a pressão) de cuidar das finanças da família sozinhos.

É por isso que precisamos falar de finanças para mulheres com homens também. Este mesmo levantamento descobriu que, quando os casais cuidam do dinheiro juntos, 93% dizem cometer menos erros.

De forma geral, quando marido e mulher fazem a gestão e o planejamento financeiro do lar, o resultado é menos stress e mais confiança.

Isso é o que todos queremos, não?

O custo de delegar ou mesmo abdicar da gestão financeira é enorme – assim como o ganho de assumir esta responsabilidade. Se puder ser dividida, melhor. Todos saem ganhando.

Por isso, está na hora de falarmos sobre dinheiro a dois. Isso não precisa ser sofrido. Vocês podem abrir uma garrafa de vinho (ou uma cerveja) e começar falando sobre os sonhos do casal.

Olhar (com respeito e cumplicidade) para a forma com que os dois gastam seu dinheiro. Esse é um hábito que eu tenho com meu marido que é sempre enriquecedor – quando você tem um olhar de fora para os gastos do outro, consegue dar sugestões criativas e eficientes para cortar gastos.

É daí que nascem os planos: comprar um apartamento, ter um filho, trocar de carro, fazer um MBA. Quando cada um sai da sua ilha e juntos conseguem, como casal, traçar os passos para construir o futuro que desejam.

Faço então um convite: compartilhe esta coluna com a sua parceira (ou o seu parceiro). Nas próximas semanas, vou trazer aqui temas sobre como podemos melhorar a nossa relação com dinheiro. Você não vai querer perder.

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta de investimentos na XP – é de graça

Carol Sandler

É fundadora da plataforma online Finanças Femininas e da TV Carol Sandler, a primeira TV digital de uma influenciadora brasileira, além de sócia e diretora de conteúdo da Ella's Investimentos. Também é autora do livro Detox das Compras e coautora de Finanças Femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos.