O Day After chegou

O disputado pleito eleitoral que acaba de terminar apontou, como a vontade majoritária da nação, a recondução do atual governo para um novo mandato presidencial de quatro anos. A circunstância de tratar-se de uma reeleição pode ajudar na simplificação e na antecipação do ritual de transição, pelo menos no que concerne a algumas providências estratégicas e mais urgentes.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

O disputado pleito eleitoral que acaba de terminar apontou, como a vontade majoritária da nação, a recondução do atual governo para um novo mandato presidencial de quatro anos. A circunstância de tratar-se de uma reeleição pode ajudar na simplificação e na antecipação do ritual de transição, pelo menos no que concerne a algumas providências estratégicas e mais urgentes. Parece-me muito interessante que essa possibilidade seja bem explorada, já de imediato, no que diz respeito à recomposição da nossa economia. Para esse propósito, o “day after” eleitoral já chegou, sem que seja preciso esperar a virada do ano e o dia do início formal do novo mandato presidencial. 

 Entendo que, quanto mais rapidamente for alcançado o pretendido estágio de equilíbrio econômico capaz de garantir a retomada do crescimento, a atração de investimentos, o controle mais efetivo da inflação e a manutenção do pleno emprego, melhor será para toda a nação. Além disso, quanto mais rapidamente forem ativadas as primeiras providências para essa recomposição, maior chance de sucesso elas terão, permitindo, também, que o exercício termine com indicadores mais favoráveis. Essa última possibilidade seria especialmente importante para que se alcance o ambiente de confiança e tranquilidade necessário para que o país volte a crescer.   

No caso particular da Indústria da Construção Civil, que conheço muito de perto, é fácil observar que o setor ressente-se mais fortemente do que todos os demais, da diminuição do ritmo econômico observada nos últimos meses. Esse é um setor estratégico: o que mais emprega na economia e um dos que participam mais significativamente na formação do PIB – Produto Interno Bruto. Para garantir a empregabilidade nesse setor estratégico, usualmente utilizado como o termômetro de toda a economia, é preciso que sejam tomadas medidas corretivas imediatas, de modo que seus agentes voltem a lançar empreendimentos, que sejam retomados os níveis de vendas e aquecidas as contratações de mão de obra.    

Como observação final, gostaria de registrar a minha crença no fato de que o aceno imediato para uma virada vigorosa no panorama econômico, com a consequente perspectiva de novo surto de prosperidade e otimismo, representará, secundariamente, um catalisador importante para a indispensável harmonização dos espíritos acirrados pelas eleições e para reconciliá-los em torno de grandes objetivos nacionais. Portanto, fica a sugestão para que as mudanças econômicas comecem já, com medidas práticas e visíveis. 

Rubens Menin