Hoje é o dia da “Festa de Fim de Ano” para Dilma, deputados, senadores e STF

Dilma já vem de uma festa, após comemorar seu aniversário em família. Desta vez, a comemoração deverá ser com os aliados

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Muitas empresas realizam “festas de fim de ano” nos últimos dias de dezembro, para comemorar. O governo não é diferente: nesta segunda-feira (16), Dilma Rousseff, todos os ministros, presidentes de câmara, senado e STF (Supremo Tribunal Federal) deverão se reunir para um coquetel de confraternização no Palácio da Alvorada, à partir das 19h00 (horário de Brasília).  

Dilma já vem de um final de semana de festa, após comemorar seu aniversário em família. Desta vez, a comemoração deverá ser com os aliados, já que apenas membros de seu governo deverão estar presentes. O peixe fora d’água na festa do governo deverá ser Joaquim Barbosa, presidente do STF, um personagem muito importante na condenação de diversos petistas na Ação Penal 470, conhecida como “Mensalão”. 

Talvez Barbosa possa ser o juiz de uma acalorada discussão de futebol entre Aldo Rebelo, ministro dos Esportes e fanático palmeirense, e Aloizio Mercadante, ministro da Educação e torcedor do Santos. Ambos disputam o papel de “melhor time paulista do ano”, já que o Palmeiras foi campeão da Série B e o Santos o melhor.

Sentindo a corda no pescoço após tantas críticas, é possível que Guido Mantega puxe um “Parabéns para Você” para Dilma. Mas, como ela não gosta desse tipo de canto, não deverá dar muita trela para isso. Tudo bem, isso deverá salvá-los de ouvir uma piadinha de canto de boca por parte de Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento e eterno candidato ao ministério da Fazenda, que poderá criticar a condução econômica de Mantega falando que “o PIB que é bom esqueci de trazer”. 

Henrique Alves, presidente da câmara, e Renan Calheiros, presidente do senado, devem aproveitar a oportunidade para pedir algum favor para Dilma, para que ela converse mais com os deputados e senadores. Bem-humorada, Dilma deve responder “Trabalho agora não! Vamos aproveitar!” e cortar o momento de ambos. 

Com 40 ministérios, a festa deverá ser bastante movimentada, com bastante comida e bebida para todos. Mas o ministro da pesca, o bispo Marcelo Crivella não deverá aproveitar da bebida alcoólica ali presente, já que é um homem religioso. Uma pena, já que nas festas de final de ano, em muitas empresas, o álcool é, invariavelmente, o grande protagonista.

Felipe Moreno

Leia também