Comitiva com 4 deputados gastou cerca de R$ 6,5 mil em visita a Cid Gomes no hospital

A comitiva tinha como objetivo avaliar o estado de saúde de Gomes; gasto foi feito em apenas um dia

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A comitiva de quatro deputados formada para visitar Cid Gomes, ex-ministro da Educação, no hospital, levantou polêmica dentro da Câmara dos Deputados. Isso porque, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, André Fufuca (PEN-MA), Manoel Junior (PMDB-PB), Juscelino Filho (PRP-MA) e Marquinhos Mendes (PMDB-RJ) gastaram R$ 6,5 mil em passagens e alimentação no dia 12 de março para visitar o ex-ministro no hospital.

Fufuca, Manoel e Juscelino gastaram, aproximadamente, R$ 2 mil reais para ir a São Paulo e voltar a Brasília em apenas um dia. Juscelino também apresentou à Câmara uma nota fiscal de uma churrascaria, no valor de R$ 148,20 com data de viagem. Marquinhos Mendes diz ter tirado do próprio bolso R$ 910 para comprar suas passagens.

As passagens e o almoço de Juscelino foram bancadas, por meio de cota parlamentar, pelo Congresso mesmo ser ter verbas destinadas para tal situação.

Fufuca e Juscelino não quiseram se pronunciar. Manoel Junior informou, por meio de seu gabinete, que não teve escolha e que viajou para cumprir uma determinação da Câmara.

Vale ressaltar que a comitiva tinha como objetivo avaliar o estado de saúde do ex-ministro, que apresentou um atestado médico para justificar sua ausência em uma audiência. O deputado foi para a Câmara uma semana depois, causando polêmicas e fazendo diversas acusações contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. No mesmo dia, ele pediu demissão. 

 

Lara Rizério

Editora de mercados do InfoMoney, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional, além de ficar bem de olho nos desdobramentos políticos e em seus efeitos para os investidores.

Leia também