Vestibular: o que fazer na hora de optar entre uma universidade e outra?

Distância e qualidade são dois pontos básicos. Enxergar oportunidades futuras, como estágio, também pode ajudar

SÃO PAULO – Com o fim do ano chegando, estudantes no final do ensino médio ou de cursinhos preparatórios começam a pensar no “temido” vestibular.

Agora é hora de escolher a carreira universitária a seguir e as faculdades a tentar. Além de uma decisão que mexe com a cabeça de qualquer estudante, o período do vestibular afeta também o bolso de muita gente.

São inscrições, manuais de prova, viagens, além, é claro, de pensar no valor da matrícula, mensalidade, material didático… O que levar em conta na hora de escolher a universidade?

Passo a passo

PUBLICIDADE

A maioria das universidades já soltou o edital com as datas de inscrição e provas. O ideal agora é escolher as universidades que pretende tentar e preparar uma lista com os preços das inscrições, necessidades de deslocamento, dia e horário das provas… e colocar todas as informações na planilha de orçamento.

O objetivo é não ter surpresas com gastos extras, que vão desde viagens até um simples almoço, caso a prova aconteça em dois períodos (manhã e tarde) de um mesmo dia.

Tomando decisões

Dependendo do número de universidades que pretende tentar, você pode se deparar com um grande dilema: Como optar entre uma faculdade e outra, quando as provas acontecem no mesmo dia?

O problema é bem mais freqüente do que se imagina, principalmente para aqueles vestibulandos que pretendem tentar a vaga em várias universidades.

A estudante Camilla Pereira, candidata a uma vaga de medicina, está passando por essa fase de tomada de decisões. Este ano, de acordo com o seu cronograma, Camilla vai tentar a vaga em 12 universidades, em três estados diferentes (SP, MG e RJ). “A lista poderia ser maior, se não fossem as datas equivalentes de algumas provas”, avisa.

Para escolher entre uma instituição e outra, Camilla, que mora na Grande SP, tem optado pelo critério da distância – o que a fez excluir universidades de Santa Catarina e Rio Grande do Sul -, além de valores da mensalidade.
“Entre optar por uma universidade em São Paulo e outra fora do Estado, optei por ficar mais perto de casa. O valor da mensalidade às vezes é até mais baixo, mas os gastos que terei com moradia e transporte vão pesar bastante no orçamento“, pondera.

Escolha depende do interesse do aluno

Para o professor Ernesto Birner, coordenador de vestibular do Anglo, a escolha vai depender do interesse de cada aluno, no entanto, ele dá uma dica. “Na hora de optar, fique com a localidade que pode dar mais chances no futuro, como a de um estágio, por exemplo”.

Segundo Birner, hoje em dia, 75% dos vestibulandos que optam por sair do estado o fazem com a esperança de aumentar a chance de entrar na faculdade. “Existe a idéia, errada, de que fora de São Paulo é mais fácil passar no vestibular”, afirma. “Os 25% restantes buscam qualidade de vida, fugir da violência, morar fora de casa etc”, revela.