Valor da tarifa do transporte público é incompatível com renda do paulistano

Pesquisa revela que os paulistanos também não estão satisfeitos com a qualidade da maior parte do transporte público

SÃO PAULO – De modo geral, os paulistanos consideraram caras as tarifas do transporte público com relação à sua renda, segundo revela a pesquisa realizada pela ANTP (Associação Nacional Transportes Públicos) e divulgada nesta terça-feira (31).

Para 68% dos mais de 3.400 entrevistados, o preço da passagem para os trens da CPTM está caro ou muito caro quando comparado com a sua renda. Em 2010, os que compartilhavam da mesma opinião somavam 62%.

No entanto, entre os destaques na piora da avaliação, estão as tarifas dos microônibus na capital e  do ônibus metropolitano, que foram consideradas caras por 80% dos entrevistados. Com relação a 2010, não houve variação no resultado dos micro-ônibus, enquanto para os ônibus metropolitanos houve variação de 1 ponto percentual.

PUBLICIDADE

Qualidade
Quando o passageiro avalia o preço da tarifa em relação à qualidade dos serviços prestados pelo transporte público, houve evolução em apenas duas das nove categorias analisadas.

As melhorias aconteceram no Expresso Tiradentes, cuja tarifa foi considerada ótima ou boa em relação à qualidade para 60% em 2011, ante 57% em 2010. Quanto ao ônibus metropolitano, o número de respostas positivas subiu de 41% para 43%, na mesma base comparativa.

Já as maiores quedas de qualidade aconteceram na avaliação dos ônibus municipais da capital, que caiu 14 pontos percentuais, passando de 39% para 25%, entre 2010 e 2011, e dos ônibus municipais de outras cidades, que passaram de 35% para 21%.

No geral, apenas 18% dos entrevistados consideram que o transporte público está bom. Já para 41%, está ruim, mesma porcentagem que considerou que o transporte público não está bom nem ruim.