Trabalhador teve de cumprir 96h07min em abril para comprar cesta básica

A jornada é inferior a março (106h36min), sendo que os residentes em Porto Alegre foram os que mais tiveram de trabalhar

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Devido ao aumento do salário mínimo para R$ 380 e a queda no custo da cesta básica, o brasileiro que tem este rendimento teve de trabalhar menos no mês passado, na comparação com março, para comprar a cesta básica mensal.

De acordo com os dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgados nesta segunda-feira (07) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), o trabalhador brasileiro, em média, necessitou cumprir 96 horas e 07 minutos para pagar a cesta em abril.

Em março, a aquisição comprometia 106 horas e 36 minutos, enquanto que, em abril do ano passado, para comprar a cesta, o trabalhador que ganhava um salário mínimo deveria cumprir jornada de 98 horas e 48 minutos, em média.

Porto Alegre trabalhou mais para pagar

Aprenda a investir na bolsa

No mês passado, dentre as 16 capitais analisadas pela pesquisa, Porto Alegre foi onde as pessoas mais tiveram de trabalhar para conseguir comprar a cesta básica: 115 horas e 16 minutos.

Em seguida, vieram os residentes das cidades de São Paulo (109 horas e 18 minutos) e Rio de Janeiro (104 horas e 55 minutos). Já a cidade onde as pessoas menos tiveram de trabalhar para conseguir comprar a cesta básica no mês passado foi João Pessoa: 81 horas e 16 minutos.

Ranking

Veja abaixo as cidades e o tempo de trabalho necessário para a aquisição da cesta básica no mês passado:

CidadeHoras trabalhadas
Porto Alegre115h16min
São Paulo109h18min
Rio de Janeiro104h55min
Brasília102h57min
Belo Horizonte101h51min
Florianópolis101h37min
Curitiba 99h36min
Vitória99h17min
Belém98h41min
Goiânia90h38min
Fortaleza87h29min
Aracaju87h06min
Salvador87h03min
Natal86h23min
Recife84h35min
João Pessoa81h16min

Fonte: Dieese