STOCK PICKERS AO VIVO Fernando Fontoura, da Persevera Asset, e Betina Roxo, estrategista chefe na Rico, contam o que esperar da temporada de resultados

Fernando Fontoura, da Persevera Asset, e Betina Roxo, estrategista chefe na Rico, contam o que esperar da temporada de resultados

Tecnologia: produtos para montar uma casa digital ficam mais baratos no Brasil

Hoje são necessários 9,55 salários médios para comprar cesta, frente aos 10,1 salários registrados em agosto de 2009

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Mesmo encontrando os preços de eletrônicos mais caros da América Latina, os brasileiros hoje gastam menos para montar uma casa digital em relação ao ano passado.

A pesquisa Índice Casa Digital, realizada pela Marco Consultoria, aponta que, no País, são necessários 9,55 salários para comprar uma cesta composta por produtos de imagem, som, vídeo, comunicação, TI e entretenimento. O salário considerado para o cálculo é de R$ 1.424,10 – renda média do brasileiro, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em agosto de 2009, o dinheiro necessário para adquirir a cesta, composta por TV LCD, câmera digital, home theater, player Blu-ray, smartphone, notebook, netbook e videogame, era equivalente a 10,1 salários.

Aprenda a investir na bolsa

“Apesar de pequena, a redução do valor da cesta da Casa Digital tem sido constante nas últimas quatro pesquisas. Reflete o aumento real do salário do brasileiro, além de uma constante valorização do real perante o dólar”, declarou o consultor sênior da empresa, Henrique de Campos Junior.

América Latina
Em sua sétima edição, o índice mostrou que a cesta de produtos está mais barata em três dos cinco países pesquisados: Brasil, Argentina e Chile. A Argentina possui o pior acesso aos eletrônicos de consumo, pois lá são necessários 14 salários médios para adquirir a cesta. No Chile, é possível adquirir a mesma cesta por 8,02 salários médios.