Profissionais em crise: área de TI sofre pressão para “fazer mais com menos”

No Brasil, 62% dos pesquisados disseram que está "mais difícil/caro" atender às expectativas das empresas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Gerentes de data center estão presos entre dois objetivos conflitantes: melhora de desempenho para lidar com as expectativas de usuários cada vez mais exigentes, além da necessidade permanente de redução dos custos nas empresas.

A conclusão é do relatório de 2008 da Symantec Corp., intitulado “State of the data center”, divulgado esta semana.

Nada menos que 75% dos entrevistados relataram que as expectativas de usuários estão aumentando. Para uma parcela deles, de maneira gradual; para outra parcela, a mudança se dá rapidamente. Além disso, 60% observaram que atender aos níveis de serviço exigidos pela empresa está cada vez mais difícil.

Aprenda a investir na bolsa

Apenas 10% dos entrevistados disseram que está mais fácil atender aos níveis de serviço. Especificamente no Brasil, 62% dos pesquisados disseram que está “mais difícil/caro” ou “muito mais difícil/caro” atender às expectativas das empresas em relação ao nível dos serviços.

Fazendo mais com menos

A pesquisa da Symantec concluiu que, no mundo, o principal objetivo para a área de Tecnologia da Informação em 2009 será a redução dos custos, seguido por outras duas metas combinadas: aprimorar os níveis de serviço e a agilidade de resposta.

No caso do Brasil, o principal objetivo é melhorar o nível de serviços (33%), seguido por melhorar a velocidade da resposta (22%). A diminuição dos custos aparece com 14% das citações.

Segundo o estudo, as principais iniciativas que as empresas estão adotando para “fazer mais com menos” incluem a automação de tarefas de rotina, mencionado por 42% dos entrevistados, treinamento multidisciplinar da equipe (40%) e redução da complexidade de data center (35%).

Caça de profissionais é problema

O relatório também descobriu que a formação de equipes de data center continua sendo um problema. Nada menos que 36% dos entrevistados relataram que estão sofrendo com a falta de pessoal, enquanto somente 4% disseram estar com excedente de colaboradores. Para 43%, encontrar profissionais qualificados é uma barreira.

No Brasil, as expectativas de que os recursos para treinamentos aumentem ou permaneçam iguais é de 92%, maior do que a média observada nas Américas, que é de 78%.

PUBLICIDADE

Para transpor o problema de falta de pessoal, as empresas estão apostando em terceirização e treinamento. Cerca de metade (45%) terceirizam principalmente para dar ao pessoal do data center mais tempo de se concentrar em outras tarefas. As três principais funções dos líderes de TI que as empresas estão terceirizando incluem: continuidade de negócios (46%), backups (43%) e gerenciamento de armazenamento (39%). O treinamento é visto como estratégico por 68% dos entrevistados e 78% esperam que os budgets de treinamento (orçamento) aumentem ou permaneçam constantes nos próximos dois anos.

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada entre setembro e outubro de 2008, com 1,6 mil gerentes, diretores e vice-presidentes de data center de empresas com 5 mil funcionários ou mais, localizadas em 21 países de todos os continentes. No Brasil, participaram 49 empresas.