Planeja o orçamento, mas as dívidas continuam? Veja onde pode estar o erro!

Você pode estar errando na conta ou mantendo bens sem que sejam necessários; veja alguns hábitos que podem ser mudados

SÃO PAULO – Existem pessoas que colocam mês a mês as receitas e despesas na ponta do lápis para calcular o orçamento pessoal ou residencial. No entanto, mesmo com todas estas contas, não conseguem quitar a dívida que têm a anos nem equilibrar suas despesas.

Isso acontece ou porque as contas estão sendo realizadas de maneira errada ou porque ainda falta colocar em prática alguns hábitos. Veja abaixo alguns deles!

Anote, some e planeje tudo
As pessoas que não estão habituadas a anotar tudo o que recebem ou gastam, de maneira adequada, poderão nunca se livrar de uma dívida ou equilibrar suas finanças. Por isso, sempre some tudo aquilo que ganha, desde o salário até pensões ou aposentadorias, e baseie seus gastos nesta quantia final.

PUBLICIDADE

Um grande erro é realizar o orçamento somente ao final do mês. Tenha consciência de que ele deve ser feito no começo, para que você saiba tudo aquilo o que irá acontecer e, para que, em caso de algum imprevisto, como um conserto do carro ou a troca de algum eletrodoméstico, você esteja preparado.

É preciso anotar, somar, mas também rever suas prioridades, afinal uma conta de luz é muito mais importante do que a compra de uma nova roupa.

Avalie seus bens
Isso mesmo, some tudo aquilo o que você possui pelo menos uma vez ao ano, o que inclui também a soma de suas dívidas, que também são como um patrimônio e que devem ser priorizadas no seu orçamento.

Quando for completar a declaração do Imposto de Renda, olhe com atenção para os bens de maior valor. Eles realmente têm importância na sua vida? Quanto está gastando para mantê-los? Está usufruindo de maneira que o gasto vale a pena?

Uma casa na praia, quatro carros na garagem: tudo isso compensa, sendo que você muitas vezes gasta e não usa? Este dinheiro poderia ser direcionado às suas dívidas.

Poupe
A dica não significa colocar certo dinheiro na poupança, já que você não tem condições para isso, diante de suas dívidas e de um orçamento desequilibrado. O primeiro passo, antes de começar a guardar dinheiro ou fazer rendê-lo é ter uma sobra. E como conseguir isso?

O primeiro passo é diminuir os gastos. Esta é a questão principal quando o assunto é o orçamento desequilibrado. São eles que fazem com que você chegue ao descontrole financeiro, junto com os baixos salários e ao desemprego, por exemplo.

Aprenda a poupar: se você tem um dinheiro sobrando logo, permite que sua filha saia todos os dias no final do semana ou que seu filho compre um novo óculos? Isto está errado: sempre que sobrar dinheiro, pense que seria mais importante formar uma reserva ou, simplesmente, pagar a dívida antecipadamente.

Diminua as prestações
Quando o orçamento aperta, muitas pessoas deixam de pagar certas parcelas importantes, como a prestação do carro, do financiamento da casa e da dívida do banco. Fazer isso somente o complicará financeiramente.

O primeiro passo é negociar. Se as contas realizadas no orçamento não estão dando certo é porque as parcelas acertadas estão muito altas, devido a uma decisão errada tomada pela família.