Pensando em trabalhar no Japão? Poupe o que puder!

Planeje seus gastos, tomando como base o seu salário fixo; hora extra não pode ser planejada e deve ser usada para montar poupança

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A maior parte dos brasileiros que decide ir ao Japão para trabalhar planeja juntar dinheiro para melhorar sua qualidade de vida no retorno ao Brasil. Porém, em alguns casos, acabam não alcançando o objetivo que pretendem, pois não se planejam para a vida no Japão.

É bem verdade que no Japão os salários, mesmo dos operários de fábrica, são bem mais altos do que aqueles pagos no Brasil. E isso é o maior atrativo daqueles que planejam juntar um pé de meia. Mas, se os ganhos são maiores, o mesmo vale para os gastos, e daí a importância de se programar.

Orçamento em moeda local

A primeira providência a tomar é fazer um orçamento em iene. O Bradesco disponibiliza uma ferramenta desta natureza para você, para isso basta clicar aqui. Com ela você consegue, antes mesmo de partir, ter uma idéia do quanto irá gastar e, eventualmente, poupar por mês no Japão. Para ter uma idéia de gastos, vale consultar conhecidos que já foram ou estão no Japão.

Aprenda a investir na bolsa

Veja o quanto está gastando com comida, moradia, etc. Analise com cuidado seus gastos, e veja se não há nada excessivo. Muitos brasileiros vão ao Japão e, para compensar a saudade, acabam gastando fortunas em ligações para o Brasil, ou na compra de produtos brasileiros no Japão, o que acaba consumindo boa parte do seu orçamento.

Viva o presente, e não gaste com passado

Lembre-se, você foi ao Japão com um objetivo: juntar dinheiro, e, eventualmente, voltar ao Brasil com uma condição de vida melhor. Se este é seu objetivo, nada melhor do que abrir mão do passado. Nada de pagar uma fortuna por um requeijão, ou queijo de minas, pelo menos enquanto estiver no Japão, e pensar no presente.

Tente se adaptar à cultura e aos hábitos locais. Quanto antes você fizer isso, melhor. Gastar uma nota por um produto brasileiro não irá minimizar a sua saudade, só vai lhe trazer arrependimento pelo gasto supérfluo. Para quem morre de saudades do Brasil, vale lembrar que “quanto antes você começar a poupar, antes poderá retornar”.

Hora-extra é limitada

Não se iluda com gastos por impulso. Muitos brasileiros acreditam que não há problema em gastar, porque podem sempre compensar o abuso de consumo trabalhando mais. Não é bem assim!

É bem verdade que sua vida será melhor o quanto mais trabalhar, e é por isso que boa parte da renda dos operários vem da hora-extra. Porém, é preciso lembrar que existem limitações para o número de horas extras que uma pessoa pode cumprir. Mais ainda, nada obriga a empresa a lhe oferecer esta oportunidade, o que pode levar o seu salário a oscilar bastante.

Para maiores informações sobre o mercado de trabalho no Japão, clique aqui .

Gaste o salário, e poupe a hora extra

PUBLICIDADE

Uma dica útil é planejar seus gastos não com base naquilo que recebe, mas no seu salário fixo, aquele com o qual pode contar. A remuneração a mais que receber, devido a hora extra, pode ser usada para dar início a uma poupança, ou ao menos garantir alguns “mimos” pessoais.

Mas, lembre-se que poupar é como fazer exercício: quanto mais você se esforça, mais se anima com a atividade, e mais consegue fazer. Sua capacidade de acumular alguma poupança no primeiro ano é o que irá diferenciar você daqueles que, mesmo trabalhando muitas horas, acabam voltando para o Brasil sem uma poupança que lhes garanta um pouco mais de tranqüilidade. Quanto antes você se acostumar com o seu novo estilo de vida, mais bem sucedido você deve ser ao retornar.