Para diretores da MRV Engenharia, “apagão da mão de obra não existe”

Segundo Rubens de Souza, desempenho na última semana do ano será fundamental para ditar resultado de vendas

SÃO PAULO – Em teleconferência com analistas sobre os resultados trimestral, os diretores da MRV procuraram passar uma mensagem de segurança, em meio à preocupação com os custos de insumos e mão-de-obra na indústria de construção, além de repassar expectativas sobre o guidance.

“Não existe em nosso horizonte a pressão de custos”, afirmou o diretor presidente da companhia, Rubens de Souza. Em sua visão, o principal fator que tem impulsionado o INCC (Índice nacional de custo da construção) tem sido o preço da mão-de-obra – “que é até bom para a indústria”, ponderou. 

A origem
Ainda assim, o executivo fez questão de ressaltar que não há dificuldades para a contratação de trabalhadores. “Falam de apagão da mão-de-obra; não existe”, afirmou. “Estamos pegando pessoas de outras indústrias, treinando e qualificando. Sempre vamos ter essa questão do preço da mão de obra por conta do dissídio”, explicou Rubens de Souza.

Em sua visão, não há grandes oscilações no mercado imobiliário. “A curva é ascendente, nossa margem cresceu de forma organizada e elevamos o guidance por causa disso. Prevemos no ano que vem um desempenho forte também”.

Neste ponto, o diretor financeiro da companhia – Leonardo Corrêa – , diz que a escala é ponto central para a estratégia da empresa. “Terrenos, a parte de suprimento… nós construímos diferenças duradouras”, ressalta.

Projeções
Ainda assim, dadas as incertezas no cenário, a companhia resguardou-se e somente lançará o guidance de volume de vendas contratadas mais tarde. “Tem o cenário econômico, um novo governo”, explicou Leonardo Corrêa. 

Em relação às projeções para 2010, o presidente da empresa foi taxativo: “nós vamos atingir o guidance”. Ainda assim, há dúvidas se o resultado ficará perto do teto ou da base do intervalo.

“A grande dúvida deste ano é o natal. Se não parar uma semana, como no ano passado, vamos atingir a parte superior. Outubro e novembro foram muito bons”, afirmou o presidente da companhia.