Mantega pede para Força Sindical aceitar mínimo de R$ 545

Argumento utilizado pelo governo é que salário acima deste valor seria visto como gasto e criaria previsão de mais inflação

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, afirmou, após reunião que ocorreu nesta quarta-feira (2), que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, está pedindo aos sindicatos que aceitem o valor de R$ 545 para o salário mínimo.

O ministro argumenta que o salário mínimo acima dos R$ 545 seria visto como gasto e criaria expectativa de mais inflação pelo mercado. Em relação à correção da tabela do IR (Imposto de Renda da Pessoa Física), Mantega declarou que a equipe econômica do governo poderá discutir este assunto.

A Força Sindical cobra ainda que o governo, junto com a medida provisória do salário mínimo, envie ao Congresso Nacional a formalização da política de valorização do piso salarial com base na variação do PIB (Produto Interno Bruto).

Aprenda a investir na bolsa

“Queremos que a presidenta Dilma mande na medida provisória o atual acordo, a inflação mais o PIB do ano anterior. Queremos que ela coloque essa política na medida provisória que será enviada ao Congresso para que possamos aprová-la e ter validade para os quatro anos”, disse, segundo a Agência Brasil.

Discussão na Câmara
Já o novo presidente eleito da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), declarou que a proposta sobre o reajuste do salário mínimo será discutida “com responsabilidade”.

“Todos nós queremos que o salário mínimo continue crescendo. Mas também queremos que as contas públicas estejam equilibradas. O debate e a discussão serão pautados a seu tempo. Quando as matérias estiverem prontas para serem votadas por acordo, serão votadas”, finalizou.