INSS: beneficiário de São Paulo recebe 26% a mais do que o de outros estados

Valor médio do benefício no estado é de R$ 734,63, enquanto a média nacional fica em torno de R$ 579,87

SÃO PAULO – Estudo realizado pelo INSS e divulgado pelo Ministério da Previdência sobre as receitas e despesas do INSS no estado de São Paulo mostra que os beneficiários dessa unidade federativa recebem, aproximadamente, 26% a mais do que a média nacional. Os valores dos benefícios ficam em torno de R$ 734,63 e R$ 579,87, respectivamente.

A maioria dos aposentados e/ou pensionistas de São Paulo – mais de 90% de 5,775 milhões de benefícios pagos no estado – pertencem à área urbana, onde a média salarial chega a R$ 765,52. Já os trabalhadores rurais, que correspondem a pouco mais de 8% do total, têm rendimentos na casa dos R$ 406,31. Ambos os valores são os maiores do país.

Regiões

A região Sudeste recebe 52% dos R$ 14,720 bilhões emitidos para pagamento de benefícios no país. Deste montante total, ao estado de São Paulo, são distribuídos 28,82%.

PUBLICIDADE

Confira, na tabela abaixo, a quantidade, os valores totais e o valor médio dos benefícios emitidos, no Brasil e nas diferentes regiões:

Benefícios emitidos
QuantidadeValor totalValor Médio
Brasil25,386 milhõesR$ 14,720 bilhõesR$ 579,87
Região Norte1,212 milhãoR$ 551,922 milhõesR$ 455,18
Região Nordeste6,893 milhõesR$ 3,136 bilhõesR$ 455,07
Região Sudeste11,520 milhõesR$ 7,745 bilhõesR$ 672,34
Região Sul4,455 milhõesR$ 2,598 bilhõesR$ 583,12
Região Centro-Oeste1,305 milhãoR$ 688,409 milhõesR$ 527,42

Fonte: Ministério da Previdência Social

Mais do ranking

Considerando novamente o rendimento médio dos benefícios, o segundo maior valor está em outro estado do Sudeste, o Rio de Janeiro: R$ 698,40. Em terceiro lugar, aparece o Distrito Federal, onde os aposentados e pensionistas do INSS ganham, em média, R$ 664,23.

Por outro lado, no Maranhão está o valor mais baixo dos benefícios, de R$ 408,34, quase 30% inferior à média nacional e 44% menor do que o dos paulistas. Em seguida, está o Tocantins, com R$ 414,70.

Essa unidade federativa acumula ainda a primeira posição entre os menores rendimentos pagos na área urbana, com R$ 487,55. A seguir, vem outro estado do Norte, o Amapá, com 495,60.

Já os beneficiários da área urbana do Distrito Federal são os que ganham o segundo maior valor médio de rendimento, R$ 726,52. Logo atrás, registrando R$ 708,82, está o Rio de Janeiro.