Indústrias enfrentam dificuldade para contratar profissionais

Falta de capacidade para assimilar conteúdos, baixa liderança e pouca iniciativa estão entre os principais problemas de candidatos

SÃO PAULO – As indústrias brasileiras têm encontrado problemas para contratar profissionais qualificados. Isto porque a maioria dos candidatos está longe de atender às necessidades do mercado: a falta de capacidade para assimilar conteúdos, a ausência de raciocínio lógico e a baixa liderança e iniciativa são alguns dos dificultadores nos processos de seleção.

Tais problemas, inclusive, têm sido mais recorrentes até que a capacitação profissional, a experiência em empregos anteriores e a instrução escolar, segundo a opinião de mais de 607 empresas de todo o País.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira (12) pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) e fazem parte de uma pesquisa setorial de qualificação e oferta de profissionais existentes. Dos entrevistados, 71,5% representam a indústria de Transformação e 28,5% a Construção Civil.

PUBLICIDADE

Principais razões
O estudo revela ainda que 53% dos entrevistados alegaram não ter sucesso no preenchimento de postos de trabalho nos últimos seis meses. A opinião foi compartilhada por 90% das empresas, que informaram que tal dificuldade é motivada pela falta de profissionais capazes de solucionar problemas (44,5%), de agir face ao imprevisto (33%), de observar e interpretar dados (33%) e de persistir e superar as dificuldades do dia a dia (32,5%).

Contratações satisfatórias
De acordo com a Firjan, dos 47% dos entrevistados que conseguiram preencher totalmente ou parcialmente as vagas, 65,3% dizem que os profissionais contratados desempenham suas funções de modo razoavelmente satisfatório. Além disso, 71,4% das empresas revelam que a contratação de profissionais com qualificação abaixo da necessária é uma prática bastante utilizada.

Perspectivas para o futuro
Um ponto interessante apresentado pela pesquisa é que 60,9% das indústrias entrevistadas devem aumentar seu quadro de funcionários nos próximos 12 meses. A maior expectativa de crescimento fica por conta do setor da Construção Civil, com 71,6% das empresas prevendo contratação.

Já na Indústria de Transformação o percentual menor, porém não menos importante, de 56,6%.

Para o ano de 2013, no entanto, a previsão é que 63,3% das empresas aumentem o número de oportunidades de trabalho em razão da crescente necessidade de absorção de mão de obra na área produtiva.