Inadimplentes não podem ser barrados em processo seletivo por emprego

Assessor econômico da Serasa garante que quem está com dívidas pendentes não pode sofrer discriminação

SÃO PAULO – Cidadãos inadimplentes que estão em busca de emprego – seja formal, seja temporário – não podem ser barrados do processo seletivo por este motivo. De acordo com o assessor econômico da Serasa, Carlos Henrique de Sousa Almeida, quem está com dívidas pendentes não pode sofrer nenhum tipo de discriminação no emprego.

“Nos contratos firmados entre a Serasa e seus clientes está escrito claramente que as informações devem ser usadas apenas para concessão de crédito e não podem ser usadas com nenhuma outra finalidade, muito menos para a discriminação”, afirma o assessor.

Para ele, o fato de uma pessoa estar inadimplente não a desmerece para exercer nenhuma função. “Muitas pessoas ficam inadimplentes não porque são mau caráter ou algo do gênero, essa situação pode acontecer em razão da morte de alguém ou até pela própria perda do emprego. E se o cidadão não arranjar outro trabalho, como vai regularizar sua situação?”, questiona.

Discriminação

PUBLICIDADE

Almeida conta que, apesar de ser uma prática proibida, a instituição já recebeu reclamações de uso abusivo das informações. “Já recebemos reclamações de pessoas que foram barradas no processo seletivo, sim, e no mesmo momento a Serasa rompeu o contrato com esse cliente”.

Para evitar o mau uso das informações, o assessor explica que, quando o cidadão for vítima de situações desse tipo, deve comunicar o órgão imediatamente. “Assim podemos tomar as atitudes cabíveis juntos aos nossos clientes”.

Para esclarecer, Almeida explica que uma pessoa com o nome no banco de dados da Serasa só pode sofrer restrições ligadas ao crédito. “Quem está com dívidas pendentes sofre restrições ligadas ao crédito, e claro, não pode passar cheque, usar cartão de crédito ou fazer financiamentos. Qualquer outro cerceamento é abusivo e deve ser comunicado à entidade”.