Geração de emprego cai em setembro, na comparação mensal e na anual

No acumulado do ano, no entanto, a geração de empregos foi recorde, atingindo 2,201 milhões de vagas

SÃO PAULO – No Brasil, foram geradas 246.875 vagas de trabalho em setembro, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira (19).

Frente a setembro de 2009, houve uma queda de 2,27%, já que o saldo na geração de empregos na época foi de 252.617. Na comparação com agosto, quando foram gerados 299.415 empregos, a queda foi ainda maior, de 17,55%.

No acumulado do ano, no entanto, com a soma de 2,201 milhões de vagas – dado recorde para o período segundo o MTE – houve alta de 136%, já que no mesmo período do ano passado foram registradas 932,651 mil vagas.

Crescimento setorial
Na análise setorial, sete dos oito setores de atividades econômicas analisados registraram novas vagas de empregos formais, com saldo positivo entre contratações e demissões. A exceção ficou com Agricultura, com o corte 22.937 vagas, um saldo negativo de 1,38% entre admissões e desligamentos.

Em números absolutos, o destaque ficou com Indústria da Transformação, com 94.205 vagas de trabalho. Outro destaque do período foi Serviços, que apresentou acréscimo de 94.202 postos de trabalho (+0,68%). O Comércio foi o terceiro setor que mais gerou emprego em setembro, ao responder por 55.051 vagas (+0,72%). Em seguida está Construção Civil, com a criação de 21.676 vagas (+0,83%).

Os demais setores também apresentaram saldo positivo na criação de vagas de trabalho no nono mês do ano: em Indústria Extrativa Mineral, houve variação de 1,07% no número de empregados (+1.970 vagas), em Serviços Industriais de Utilidade Pública, de 0,27% (+987 vagas), enquanto Administração Pública avançou 0,22% (1.721 postos).

Análise regional
Ainda segundo os dados do Caged, na análise regional, os destaques por unidades federativas são São Paulo (+53.572 vagas ou +0,47%), Pernambuco (+39.645 vagas ou +3,67%), Alagoas (+28.256 vagas ou +10,38%), Rio de Janeiro (+21.649 postos ou 0,66%) e Paraná (+14.038 vagas ou +0,60%).

Considerando as regiões, todas apresentaram elevação no emprego formal, sendo que o Nordeste apresentou maior expansão, de 1,97%, com a criação de 105.897 vagas. Na sequência aparecem o Norte e o Sul, com alta de 0,76% (+11.300 postos) e 0,59% (37.881 vagas), respectivamente. Já o Sudeste teve crescimento de 0,45% (+86.229) e o Centro-Oeste alta de 0,21% (+5.568).

Entre as nove regiões metropolitanas pesquisas, destacam-se São Paulo (+35.519 postos de trabalho), Recife (16.238 vagas), Rio de Janeiro (15.946 postos) e Belo Horizonte (+13.970), o que representa expansão de 0,59%, 2,18%, 0,64% e 0,58%, respectivamente.

PUBLICIDADE