Geração de emprego cai em setembro, na comparação mensal e na anual

No acumulado do ano, no entanto, a geração de empregos foi recorde, atingindo 2,201 milhões de vagas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No Brasil, foram geradas 246.875 vagas de trabalho em setembro, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira (19).

Frente a setembro de 2009, houve uma queda de 2,27%, já que o saldo na geração de empregos na época foi de 252.617. Na comparação com agosto, quando foram gerados 299.415 empregos, a queda foi ainda maior, de 17,55%.

No acumulado do ano, no entanto, com a soma de 2,201 milhões de vagas – dado recorde para o período segundo o MTE – houve alta de 136%, já que no mesmo período do ano passado foram registradas 932,651 mil vagas.

Aprenda a investir na bolsa

Crescimento setorial
Na análise setorial, sete dos oito setores de atividades econômicas analisados registraram novas vagas de empregos formais, com saldo positivo entre contratações e demissões. A exceção ficou com Agricultura, com o corte 22.937 vagas, um saldo negativo de 1,38% entre admissões e desligamentos.

Em números absolutos, o destaque ficou com Indústria da Transformação, com 94.205 vagas de trabalho. Outro destaque do período foi Serviços, que apresentou acréscimo de 94.202 postos de trabalho (+0,68%). O Comércio foi o terceiro setor que mais gerou emprego em setembro, ao responder por 55.051 vagas (+0,72%). Em seguida está Construção Civil, com a criação de 21.676 vagas (+0,83%).

Os demais setores também apresentaram saldo positivo na criação de vagas de trabalho no nono mês do ano: em Indústria Extrativa Mineral, houve variação de 1,07% no número de empregados (+1.970 vagas), em Serviços Industriais de Utilidade Pública, de 0,27% (+987 vagas), enquanto Administração Pública avançou 0,22% (1.721 postos).

Análise regional
Ainda segundo os dados do Caged, na análise regional, os destaques por unidades federativas são São Paulo (+53.572 vagas ou +0,47%), Pernambuco (+39.645 vagas ou +3,67%), Alagoas (+28.256 vagas ou +10,38%), Rio de Janeiro (+21.649 postos ou 0,66%) e Paraná (+14.038 vagas ou +0,60%).

Considerando as regiões, todas apresentaram elevação no emprego formal, sendo que o Nordeste apresentou maior expansão, de 1,97%, com a criação de 105.897 vagas. Na sequência aparecem o Norte e o Sul, com alta de 0,76% (+11.300 postos) e 0,59% (37.881 vagas), respectivamente. Já o Sudeste teve crescimento de 0,45% (+86.229) e o Centro-Oeste alta de 0,21% (+5.568).

Entre as nove regiões metropolitanas pesquisas, destacam-se São Paulo (+35.519 postos de trabalho), Recife (16.238 vagas), Rio de Janeiro (15.946 postos) e Belo Horizonte (+13.970), o que representa expansão de 0,59%, 2,18%, 0,64% e 0,58%, respectivamente.

PUBLICIDADE