AO VIVO VP da Raia Drogasil conversa ao vivo com gestor; veja stock picking acontecendo na prática

VP da Raia Drogasil conversa ao vivo com gestor; veja stock picking acontecendo na prática

Executivos temem apagão de talento e competição de emergentes, revela pesquisa

A globalização está transformando o gerenciamento de risco em uma questão de importância estratégica

SÃO PAULO – Segundo o estudo “Riscos 2018: Planejamento Para Uma Década Imprevisível”, realizado pela consultoria Economist Intelligence Unit, a competição das empresas de países emergentes e o déficit de talentos estão entre os riscos que mais assombram os executivos de grandes empresas.

Esses itens foram listados entre os 12 principais, porque, além de representarem ameaças, não foram tomadas medidas pelas empresas para lidar com eles no futuro. “A globalização está direcionando o gerenciamento de risco a se tornar uma questão de importância estratégica”, disse François Barrault, chefe-executivo da BT Global Services.

Confira a lista

Ainda de acordo com Barrault, as companhias que se inteirarem sobre o planejamento de risco e infra-estrutura estarão mais flexíveis e irão ser bem-sucedidas nesse complexo período de desenvolvimento dos negócios. Confira quais são os riscos apontados na pesquisa:

  • Fortificação da globalização e crescimento do protecionismo;
  • Abalos nos preços do petróleo;
  • Colapso nos preços das propriedades;
  • Surgimento de um modelo de negócios desordenado;
  • Terrorismo internacional;
  • Mudanças inesperadas nos marcos regulatórios;
  • Recessão global;
  • Instabilidade no Oriente Médio;
  • Crescente competitividade das empresas dos mercados emergentes;
  • Déficit de talentos;
  • Mudanças climáticas;
  • Crescimento da poluição industrial;

PUBLICIDADE

“Nossa pesquisa ilustra a quantidade de áreas nas quais os executivos devem focar nos próximos anos”, disse o editor da pesquisa, Rob Mitchell. O estudo foi realizados com 600 profissionais de grandes empresas ao redor do mundo.