Estado de São Paulo perde mais de 285 mil empregos formais em dezembro

Estudo mostra os setores que mais ofereceram e perderam vagas, além da média salarial dos admitidos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O estado de São Paulo registrou, em dezembro do ano passado, a perda
de 285.532 empregos formais, na comparação com o mês anterior. Só na região metropolitana da cidade, 62.934 trabalhadores ficaram desempregados.

Os dados fazem parte do Observatório do Emprego e do Trabalho, divulgado nesta quinta-feira (5) pelo governo do estado em parceria com a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

O estudo, realizado nas 15 regiões administrativas de São Paulo, mostra que apenas em Santos houve um aumento do número de empregos formais. Em dezembro, a cidade ofereceu 626 novas vagas.

Análise setorial

Aprenda a investir na bolsa

A pesquisa constatou que, em dezembro último, houve uma redução líquida de empregos em todos os ramos de atividades.

O setor de Indústria de Transformação foi o mais afetado, com 126.794 vagas perdidas. O segundo destaque negativo da pesquisa é o ramo da Agricultura, que contou com 65.574 postos de trabalho a menos.

As áreas de Educação, Administração Pública e Construção
reduziram sua mão-de-obra em 16.086, 15.497 e 15.075, nesta ordem.

Onde está o emprego?

Entre as cem profissões mais frequentes, que tiveram um maior nível de ocupação em 2008 no estado, o destaque são os operadores de telemarketing, com 2.739 vagas abertas no último mês do ano.

Os garçons e os caixas também tiveram mais chances de atuação, com 1.367 e 1.160 vagas, respectivamente.

Em contrapartida, as maiores reduções foram observadas para as ocupações de trabalhadores agrícolas, na cultura de gramíneas (-80.100 vagas), motoristas (-10.761) e Alimentadores de linhas de produção (-10.718).

Média Salarial

PUBLICIDADE

Em relação ao salário
médio dos admitidos em dezembro, os médicos foram os mais bem remunerados, com aproximadamente R$ 3.497, seguidos pelos gerentes de marketing (R$ 3.440) e pelos gerentes administrativos (R$ 3.146).

Já as menores médias salariais foram verificadas para os trabalhadores agrícolas na fruticultura (R$ 434) e para os profissionais com atividades relacionadas à agropecuária e serviços de manutenção de edifícios, ambos com salário de R$ 510.

Pressão Salarial

Dentre as cem ocupações mais frequentes no estado de São Paulo, os bancários foram os profissionais que mais reivindicaram aumento salarial em dezembro, acompanhados pelos motoristas de ônibus urbanos e por professores da área de pedagogia.

Os que menos abdicaram reajustes salariais foram os serventuários da justiça e afins, além de técnicos de planejamento e controle de produção.

Rotatividade

Entre as profissões que mais apresentaram rotatividade de mão-de-obra em dezembro estão os operadores de telemarketing (7,18%), os trabalhadores na montagem de estruturas de madeira (6,17%) e profissionais de relações públicas e publicidade (5,43%).

Entre os cargos que ofereceram maior estabilidade no mesmo mês da análise destacam-se os professores de ensino fundamental e médio e os professores na educação infantil e com nível superior de escolaridade, ambos com (0,03%) e professores do nível fundamental (0,06%).

Análise

Os técnicos responsáveis pelo estudo chegaram à conclusão de que dezembro de 2008 não foi um bom mês para o emprego.

Muito do ganho em novos postos de trabalho obtido durante o ano foi perdido no último trimestre de 2008, especialmente em dezembro. É provável que os dados já estejam refletindo a crise mundial.

Metodologia

PUBLICIDADE

O primeiro Boletim Mensal do Observatório do Emprego e do Trabalho da Secretaria Estadual do Emprego e Relações do Trabalho apresenta uma análise do mercado de trabalho paulista referente ao ano de 2008, utilizando dados do CAGED de dezembro/2008 e da RAIS/2007.

Os indicadores utilizados avaliam o desempenho do mercado de trabalho no estado de São Paulo como um todo e em cada uma de suas 15 Regiões Administrativas.

O período coberto é o mês de dezembro de 2008 e o último trimestre do mesmo ano. O boletim está dividido em oito seções, que abordam os seguintes temas: Variação no emprego segundo a Região Administrativa; Variação no emprego segundo o Ramo de Atividade; Salário médio dos admitidos; Pressão salarial; Rotatividade da mão-de-obra; Análise ocupacional do emprego; Dois municípios em destaque; e Estimativa do tamanho do empreendedorismo