Endividamento pode prejudicar rendimento no trabalho

Segundo alerta do Instituto DSOP, endividamento pode resultar ainda em faltas e desatenção durante o expediente

SÃO PAULO – Engana-se quem pensa que o endividamento afeta apenas o orçamento familiar. Segundo alerta do Instituto DSOP de Educação Financeira, ele pode ser também a resposta para a queda de produtividade no trabalho.

De acordo com o presidente do Instituto, Reinaldo Domingos, o endividamento não é um problema raro dentro das empresas e, além de ver cair o rendimento nas tarefas profissionais, quem tem dívidas acumuladas a pagar também pode apresentar outras características prejudiciais à carreira, como faltas, desatenção durante o expediente, contínuas reclamações e discussões, aumento de acidentes, chegando até à demissão.

Dessa forma, explica Domingos, as empresas, sobretudo os profissionais de RH (Recursos Humanos) devem procurar auxiliar os funcionários nesta questão, procurando combater a causa do problema (falta de educação financeira) e não o efeito (falta de dinheiro e dívidas).

PUBLICIDADE

“Educar financeiramente significa entender que educação financeira não se trata de matemática e macroeconomia, mas de hábitos e costumes, isto é, mudança de comportamento de como enxergamos e lidamos com o dinheiro”, explica Domingos.

Como ajudar?
Para que o endividamento não prejudique o profissional e, por consequência, a empresa, o Instituto DSOP dá as seguintes dicas, que podem ser aproveitadas pelo departamento de RH:

1 – Adote critérios e oriente o funcionário antes de disponibilizar crédito consignado;

2 – Procure um programa estruturado de educação financeira, que possa se adequar facilmente aos diferentes perfis e às necessidades da empresa e funcionários;

3 – Crie campanhas de conscientização e de mudança de hábitos e costumes em relação à utilização do dinheiro;

4 – Oriente funcionários a combaterem a causa do problema financeiro e não apenas os efeitos.