Endividamento das famílias recua pela sétima vez seguida em dezembro

Segundo levantamento da CNC, também caiu o percentual de famílias com dívidas e contas atrasadas, na comparação anual

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O percentual de famílias endividadas recuou pela sétima vez seguida, de acordo com dados da Peic Nacional (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), divulgada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) nesta terça-feira (20).

Em dezembro, a parcela de famílias brasileiras endividadas ficou em 58,6% – em novembro, o percentual era de 59%. Sobre dezembro do ano passado, contudo, houve avanço, já que no período essa parcela era de 58,3%.

Quanto às famílias que têm dívidas e contas em atraso,  o percentual passou de de 20% em novembro para 21,2% neste mês. Ainda na comparação mensal, o número daqueles que declararam não ter condições de pagar as dívidas registrou queda, passando de 7,3% para 7,2%.

Aprenda a investir na bolsa

Nível de endividamento
De acordo com a pesquisa, a parcela de famílias que afirmaram estar muito endividadas caiu para 15,4%, ante 16,0% de novembro.

O número daquelas que se dizem pouco endividadas registrou aumento, ao passar de 20,8% para 21,8%. Os mais ou menos endividados representam 21,4% das famílias neste mês, contra 22,2% no mês passado.

Renda comprometida
De acordo com o levantamento, a parcela da renda comprometida com dívidas avançou na comparação anual, respondendo por 30,3%, frente a 29,9% em igual período do ano passado. O tempo médio de atraso de quem possui contas ou dívidas pendentes ficou em 62,8 dias em dezembro.

Já o tempo médio de comprometimento com as dívidas ficou em 6,5 meses, sendo que 29,5% das famílias endividadas estão comprometidas com dívidas por até três meses e 26,9% por mais de um ano.