AO VIVO Análise Técnica na prática: como um trader ganha dinheiro na Bolsa?

Análise Técnica na prática: como um trader ganha dinheiro na Bolsa?

Emprego na construção civil cresce pouco em outubro, aponta SindusCon-SP

No décimo mês do ano, 1.600 vagas de trabalho formal foram abertas, o que aponta um aumento de apenas 0,11%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Ao contrário do mês de setembro, quando mais de 14 mil empregos foram criados na construção civil brasileira, o mês de outubro teve um pequeno crescimento de 0,11%, uma vez que apenas 1.600 trabalhadores formais foram contratados.

No total, mais de 1,54 milhão de trabalhadores formais foram contabilizados no décimo mês do ano na construção civil brasileira. Considerando os resultados acumulados, nota-se um aumento de 10,4% no ano e de 7,8% nos últimos 12 meses.

Baseados em pesquisa do Ministério do Trabalho, os números foram divulgados nesta quarta-feira (13) pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), que realiza o levantamento em parceria com a FGV Projetos.

Resultados regionais

Aprenda a investir na bolsa

Em números absolutos, a Região Sudeste registrou o maior saldo de contratações em relação a setembro, com a geração de 4.762 vagas e crescimento de 0,6%. O Norte veio em seguida, com 941 novos postos de trabalho (+1,3%).

O Sul ficou em terceiro lugar, com 0,3% de aumento (592 novas vagas). Os piores desempenhos ficaram para a Região Nordeste (-1%) e Centro-Oeste (-1,6%), onde foram cortados 2.763 e 1.898 postos de trabalho, respectivamente.

Estado de São Paulo

Analisando o nível de emprego na construção do Estado de São Paulo, a pesquisa mostra que houve a contratação de 2.100 trabalhadores no décimo mês do ano, o que representa um incremento na força de trabalho de 0,52% frente ao mês anterior.

Deste total, somente a capital do Estado criou 1.341 vagas formais, o que dá uma expansão de 0,68% na comparação com setembro. Entretanto, o maior crescimento em percentual coube à região de São José do Rio Preto, cuja expansão de 2,39% gerou 261 novos postos de trabalho.

Por outro lado, a região de Bauru apresentou uma retração de 2,06% no número de oportunidades formais de emprego, com o corte de 260 postos.