Em maio, número de empregos criados caiu em São Paulo

No quinto mês do ano o estado registrou a criação de 44 mil vagas, mantendo-se em primeiro lugar no ranking do Caged

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O número de empregos criados com registro em carteira no estado de São Paulo durante o mês de maio foi menor que o registrado em abril, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado na segunda-feira (22) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. A expansão frente ao quarto mês do ano foi de 0,42%

No total, 44.521 mil empregos foram criados no estado em maio, frente aos 72 mil gerados em abril. O crescimento foi impulsionado pela expansão de setores como Serviços (17.872 vagas) e Agropecuária (16.905). Com isso, o estado continua a liderar o ranking da criação de empregos pelo terceiro mês consecutivo.

Nos cinco primeiros meses do ano, foram geradas 112 mil vagas, um incremento de 1,06% frente ao mesmo período do ano passado.

Aprenda a investir na bolsa

Outros estados

O ranking com as 27 unidades da federação sofreu algumas modificações no quinto mês do ano, com Minas Gerais se mantendo na segunda posição do ranking, com a criação de 37.518 empregos. Em seguida Goiás perde a terceira colocação para o Paraná, onde foram abertas 11.682 vagas. Enquanto que Goiás foi para o 10º lugar da lista, com a criação de 5.103 empregos.

Outro estado que alcançou mais posições neste período foi o Espírito Santo, que passou do 7º lugar para o quarto, com a criação de 10.061 empregos. Bahia, por sua vez, passou da 12º posição para a quinta, com a geração de 9.060 vagas, fazendo com que o Rio de Janeiro perdesse uma posição e ficasse em sexto lugar, com a geração de 7.920 empregos.

Rondônia também ganhou posições em maio, saindo da 11ª posição para a 8ª com a criação de 5.361 vagas, assim como Pernambuco que saltou da 26º lugar para o 9º, por ter gerado 5.324 empregos. Ceará ficou em 11º lugar, com 2.153 vagas criadas.

Mato Grosso do Sul saltou da 16ª posição para a 12ª (+1.312 vagas), enquanto que Paraíba ficou em 13º lugar (+1.049), seguida de Piauí (+1.034).

Entre os estados que geraram empregos, ainda estão Mato Grosso (+773), Acre (+443), Roraima (+49) e Tocantins (+22). O Distrito Federal também teve saldo positivo na taxa de empregabilidade, embora pequena, com a criação de 45 vagas.

PUBLICIDADE

Os demais estados registraram saldo negativo na geração de empregos em maio: Pará (-682), Amazonas (-148), Amapá (-6), Maranhão (-1.226), Alagoas (-1.000), Sergipe (-871), Santa Catarina (-2.075) e Rio Grande do Sul (-4.076).

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o saldo é positivo. “Dezoito estados apresentaram saldo positivo e nove negativo. Penso que, no mês de abril, consolido a previsão de que o Brasil vai viver um gráfico inverso do que aconteceu em outros períodos. Vamos ter um acúmulo de dados positivos. Minha previsão é de que sejam criados mais de um milhão de empregos este ano”.