Deputados não chegam a acordo sobre teto salarial e decisão pode ser adiada

Parte dos parlamentares quer deixar decisão para a próxima legislatura; a votação também pode extinguir ajudas de custo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de discutir por quase três horas, os líderes partidários da Câmara não conseguiram estabelecer um novo teto salarial para os parlamentares.

Parte dos deputados defende que a mudança do piso seja deixada para a próxima legislatura. Outra parte propõe a extinção da verba indenizatória de R$ 15 mil reais e das ajudas de custo de fim do ano, conhecidas como 14º e 15º salários.

Já o deputado Walter Pinheiro sugeriu um reajuste dos salários de R$ 12.800,00 para R$ 16.500,00.

Votação

Aprenda a investir na bolsa

O aumento de 90,1% proposto na última segunda-feira foi vetado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O tribunal decidiu que a Câmara e o Senado se reuniriam para discutir um novo projeto legislativo.

Como nenhuma decisão foi tomada, o presidente da Câmara, Aldo Rebelo, afirmou que irá levar todas as propostas para votação em plenário ainda nesta quarta-feira, sem a participação do Senado.