Desafio do momento

Coronavírus e home office: 5 dicas para manter a produtividade trabalhando de casa

Muitas empresas estão adotando um regime de trabalho remoto para diminuir a exposição dos seus funcionários ao vírus

Trabalho remoto
(Unsplash)

SÃO PAULO – Com a rápida proliferação do novo coronavírus, muitas empresas adotaram o regime de trabalho remoto para diminuir a exposição dos seus funcionários no dia a dia.

Mas muitos profissionais podem demorar para se adaptar e sentir uma queda considerável na produtividade.

O InfoMoney conversou com especialistas do mercado de trabalho para separar dicas e sugestões para que o funcionário se adeque melhor ao sistema de trabalho remoto e mantenha a produtividade – considerando que a necessidade do home office está relacionada com o avanço da pandemia, o isolamento pode durar mais tempo do que o esperado.

PUBLICIDADE

“O maior desafio é que muitas empresas nunca treinaram seus funcionários para home office. O trabalho remoto não é o futuro, é o presente. Penso que as empresas que conseguirem se adequar melhor nesse momento e agir rápido em conjunto com os seus funcionários, sairão mais fortalecidas”, afirma Daniel Schwebel, gerente nacional da Workana no Brasil, uma plataforma que conecta freelancers e empresas.

Para Silvia Berger, sócia da Trilogie, empresa de consultoria de branding e carreira, as soft skills têm um grande peso nesse momento. “É uma oportunidade para o profissional mostrar adaptabilidade. No geral, as empresas veem com bons olhos o funcionário que se mostra proativo em momento de dificuldade”, completa.

Veja algumas dicas:

Prepara-se e tenha disciplina

Silvia explica que um funcionário que não é acostumado com o trabalho remoto pode ter dificuldade de montar uma rotina. Para isso, ela orienta manter os horários e o padrão de comportamento.

“Se troque, não trabalhe de pijama. Se programe como se fosse trabalhar, mesmo se for do quarto para a sala. A disciplina faz toda diferença. Manter os horários e ritmos de trabalho ajuda o funcionário a compreender que a sala virou o ambiente de trabalho temporariamente”, diz.

Emerson Weslei Dias, consultor de carreira e professor de liderança na Fipecafi, também afirma que se vestir de forma adequada ajuda muito. “Pode até ser tentador ficar de pijama o dia inteiro, mas lembre-se: você está trabalhando. O ato de se trocar mostra para o seu cérebro que você não está em um momento de lazer e que precisa estar ativo”, alerta.

Ainda, Silvia cita como parte da preparação a questão de conciliar agendas com o restante da família que provavelmente está em casa durante esse período – incluindo as crianças.

“É um grande desafio manter as crianças em casa enquanto é preciso trabalhar. É muito importante ter um acordo familiar sobre isso, explicar para os pequenos a importância do trabalho e por que está em casa e organizar espaços e horários para todos conseguirem trabalhar com certo equilíbrio”, diz.

Schwebel lembra os funcionários que tenham filhos ou não morem sozinhos devem deixar os líderes e gestores avisados sobre eventuais emergências ou imprevistos.

Mantenha o planejamento

Para se manter produtivo, tenha um planejamento completo das suas tarefas e uma organização da sua agenda.

Silvia sugere começar o dia fazendo uma lista precisa e completa das tarefas diárias. “É essencial ter metas diárias para se organizar e equalizar o tempo”.

Schwebel acrescenta que organizar essa lista por horários pode ser bem eficiente. “Determine um horário adequado para todas as atividade e tente cumprir de forma rígida”.

O executivo pondera que é fundamental que os líderes tenham mais compreensão com eventuais problemas e dificuldades que vierem a acontecer já que a situação é atípica para muitas pessoas. “É empatia. Trabalhe esse sentimento para entender os imprevistos. No fim do dia, está todo mundo sujeito a isso”, diz.

Outro ponto importante que faz parte da organização é reduzir as distrações da casa. “Não deixe as tarefas da lavanderia, limpeza, consertos e reparos consumirem seu dia de trabalho. Você deverá também se precaver contra interrupções sociais, a medida em que algumas pessoas possam pensar que, pelo fato de estar trabalhando de forma remota, você poderá fazer o que quiser a qualquer horário do dia. Além disso, mantenha a TV desligada e o celular distante para evitar se distrair”, orienta Dias, consultor de carreira.

Seja flexível

PUBLICIDADE

Daniel Schwebel lembra o trabalhador deve ser flexível. “Não se desespere. Entenda que a situação é emergencial e temporária. Neste momento, você deve ser ágil e imediato, saiba que é um plano focado em cuidar do pessoal e dar continuidade à operação”, conta Daniel Schwebel, gerente nacional da Workana no Brasil.

Ele reforça que o profissional que conseguir atravessar essa fase com a produtividade alta, será considerando uma peça importante para a empresa.

Se comunique o tempo todo

Segundo Schwebel, em conjunto com a flexibilidade diária e os desafios de trabalhar de casa, é fundamental que o trabalhador entenda quais as dinâmicas de trabalho podem ser alteradas significativamente durante esse período remoto e quais serão esses reflexos na operação em si – uma visão mais macro.

“É preciso que os funcionários conversem de forma transparente com os líderes para estar a par das informações relevantes sobre mudanças na operação durante esse período. Todos os funcionários devem entender a importância de alinhar os esforços por meio de diálogos constantes”, conta Schwebel.

Ele diz que reuniões online  frequentes ajudam a manter a produtividade e o ritmo de trabalho. “É importante ter um canal aberto entre funcionários tanto para assuntos sérios, como para momentos de descontração”, explica o executivo.

Segundo ele, os líderes de cada área são os que precisam ter maior comprometimento, compartilhando sempre as informações e novidades, além de cronogramas e estar disposto a tirar as dúvidas da equipe.

Do lado dos funcionários, Silvia lembra que “é crucial comunicar claramente o que está fazendo e quais os prazos de entrega para atividades executadas. Como não estão em um escritório compartilhado, mesmo as pequenas coisas que seriam verbalmente expressas em um dia normal devem ser comunicadas de forma clara e precisa para evitar confusões”.

Não esqueça da parte operacional

Silvia lembra que o funcionário precisa organizar a casa, ter a estrutura e testar os programas que irá usar. Segundo ela, é importante saber se vai usar o próprio notebook ou computador ou se pegará uma peça da própria empresa, além de seguir à risca as medidas de segurança estabelecidas para um cenário com familiares ou pessoas de fora da empresa.

PUBLICIDADE

Schwebel afirma que a responsabilidade de fornecer meios adequados para o funcionário realizar o serviço de sua casa “é da empresa, cabendo ao empregado apenas comunicar a falta de algum equipamento ou qualquer outro tipo de problema”.

Dias, consultor de carreira, afirma que tão importante quanto o trabalho a ser feito é o local onde ele será realizado.

“Muitas pessoas têm cadeiras ergométricas, mesas reguláveis, boas telas, internet rápida no escritório da empresa, mas em casa elas precisam improvisar. Não é muito confortável trabalhar o dia todo sentado na cadeira de praia improvisada na varanda, a luz que bate na tela vinda da janela sem cortina, a falta de um ar condicionado no verão pode ser fator de improdutividade”, elenca.

Mas, segundo ele, é normal só descobrir tudo isso depois de ter que trabalhar de casa pela primeira vez. “É aí que nos damos conta de que internet é lenta para vídeos, downloads, o celular não tem sinal, o cachorro não para de latir durante a videoconferência…. É importante saber que as condições de entorno afetam o desempenho, portanto, conforme for percebendo alguns problemas, se planeja para ter uma improvisada, mas com boas condições de trabalho”, afirma.

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!