Consumo consciente: torne seu décimo terceiro um aliado neste Natal

Falta de planejamento, em vez de trazer alegrias, pode levar todo o seu abono para gastos inúteis e compras compulsivas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em menos de duas semanas, boa parte da população brasileira receberá a segunda parcela do décimo terceiro. De posse deste dinheiro extra, a falta de planejamento, em vez de trazer alegrias, pode levar a compras compulsivas e gastos desnecessários. Para não cair nesta armadilha, veja algumas dicas.

De acordo com a autora do livro Saiba mais para gastar menos e consultora do Instituto Akatu, Elaine Toledo, o ponto de partida para economizar e consumir de forma consciente durante as festas natalinas é o planejamento.

A consultora diz que, nesta época do ano, a renda extra é um forte atrativo para as compras, por isso as pessoas devem avaliar os impactos do seu consumo e pensar se realmente a aquisição é necessária.

Aprenda a investir na bolsa

“As pessoas acreditam que podem comprar “presentões” para compensar a ausência e a falta de dedicação aos relacionamentos pessoais. Nesse sentido, o 13º salário pode ser uma grande armadilha, a porta para o mundo das dívidas”, alerta Toledo.

Faça reservas

Passadas as festas, no início do próximo ano, há gastos com IPVA, IPTU e educação, por exemplo. Por isso, é importante fazer uma reserva e não comprometer todo o dinheiro, já que o fim do ano é um dos períodos em que o consumidor mais entra no vermelho, por gastar além do que lhe é permitido.

“As pessoas devem ficar atentas para evitar desperdícios e endividamentos. Para as pessoas que já comprometeram o décimo terceiro, o sinal já está vermelho e qualquer atitude impensada significa endividamento. Para os que já gastaram metade com dívidas, o sinal é amarelo, nível de cuidado intermediário. O sinal verde (com ressalvas) é para os que não têm dívidas”, diz Toledo.

Se você se encaixa na última opção descrita acima pela consultora, procure comprar à vista e pedir descontos. Caso não haja outra possibilidade e seja preciso recorrer ao parcelamento, verifique a taxa de juros e pense bem se a despesa está adequada ao seu orçamento de 2009.

Presentes criativos

Apesar de falar do hábito que os brasileiros têm de gastar o 13º com presentes mais caros, presentear é tradição no Natal. Contudo, a consultora acredita que o mimo deve estar mais relacionado ao sentimento do que ao preço ou à tecnologia. Como alternativa, ela aconselha a aquisição de mercadorias artesanais, feitas com produtos reciclados ou por comunidades tradicionais, ou mesmo que a pessoa confeccione o que pretende dar. No caso das crianças, brinquedos educativos são uma boa opção, diz ela.

Não comprar produtos piratas também é uma atitude ligada ao consumo consciente, além de saudável, pois, segundo especialistas, alguns itens podem causar problemas à saúde, aos aparelhos domésticos ou outros tipos de danos. O interessante, para Toledo, é optar por empresas que se preocupam com o ambiente e o desenvolvimento social e sempre pedir a nota fiscal.

PUBLICIDADE

Mas se você pensa que isso basta, está enganado. Já parou pensar na embalagem daquilo que está levando? A maior parte do lixo produzido no Brasil, segundo o Instituto Akatu, é formada por embalagens, o que gera impactos ambientais, além de aumentar os gastos públicos. Portanto, opte por embalagens duradouras ou mais simples e que possam ser reutilizadas e não se esqueça de separá-las e encaminhá-las para reciclagem.

Na hora da ceia

Na hora da ceia, não deixe o bom senso de lado e se renda aos apelos das guloseimas dos comerciais. Pense numa refeição orgânica com petiscos naturais e prefira os alimentos orgânicos.

Dê preferência a frutas e vegetais da época e cultivados na sua região. Além de beneficiar o comércio local, estará economizando, pois os custos são menores, já que não há muito gasto com transporte nem desperdícios exacerbados.

Por fim, não exagere. Compre somente a quantidade que será de fato consumida e aproveite para conscientizar amigos e familiares.