Construção civil paga os maiores salários para os executivos, aponta pesquisa

Em seguida aparecem o setor de Mineração e Metalurgia, com média salarial de R$ 32.174, e Bens de Consumo, com R$ 29.928

SÃO PAULO – Os executivos da construção civil são os profissionais que recebem as remunerações mais altas na comparação com outros oito setores. Segundo um levantamento realizado pela Mercer, a média salarial é de R$ 34.237.

Em seguida, aparecem o setor de Mineração e Metalurgia, com R$ 32.174, e Bens de Consumo, com R$ 29.928. Já a menor média foi registrada no setor de Autopeças e Automotivo, com R$ 23.559. A pesquisa indica que a média geral é de R$ 28.695.

A remuneração direta está relacionada ao salário-base e ao pagamento de bônus. No caso dos executivos da Construção e Mineração, o pagamento variável representa 27% e 32% do valor total, respectivamente.

PUBLICIDADE

Profissionais táticos e analistas
Na análise das remunerações dos gerentes e coordenadores, a Construção Civil é destaque novamente, com média de R$ 12.009, enquanto o setor Farmacêutico paga, em média, R$ 11.944 e o Químico, R$ 11.705.

A remuneração média mais baixa foi apresentada no setor de Auto, com R$ 9.929. Esse valor está abaixo da média geral dos oito setores analisados, que é de R$ 10.683.

Em relação à remuneração paga aos analistas, técnicos e assistentes, os dados indicam que a média é de R$ 3.788. O maior valor foi registrado no setor de Farmacêutico (R$ 4.863) e o menor em Bens de Consumo (R$ 3.168).

Aumento salarial
As empresas entrevistadas afirmaram ainda que houve aumento salarial em todos níveis hierárquicos analisados. Os profissionais não executivos tiveram alta de 6,9% no salário, enquanto para os executivos o aumento foi de 6,7%. Já nos cargos operacionais, o aumento foi de 6,6%.

Para o próximo ano, a expectativa é de aumento de 7,3% nos salários dos executivos. Para os não executivos e operacionais, a previsão é de alta de 7,4% e 6,7%, respectivamente.

Sobre a pesquisa
O estudo foi realizado em maio deste ano e teve a participação de 344 empresas.