Como mudar de carreira sem se afogar em dívidas

Além de uma boa dose de cautela, buscar a satisfação profissional em outra área exige intenso planejamento financeiro para não entrar no vermelho

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Viver mal humorado, deprimido, angustiado ou com problemas afetivos é sinal de que alguma coisa em sua rotina deve estar indo mal. E, em boa parte dos casos, a origem de todos esses problemas pode estar na insatisfação com a vida profissional. Ao contrário dos que muitos pensam, esta sensação não está relacionada diretamente com o salário, mas sim com a atividade exercida.

Por outro lado, mudar de carreira não é o mesmo que trocar de faculdade aos 20 anos. Especialmente se você já passou dos 30 e já acumulou uma série de responsabilidades financeiras, como a prestação do apartamento, a escola dos filhos e o plano de saúde da família. Neste sentido, uma boa dose de planejamento financeiro é a chave para buscar a felicidade e continuar com suas contas saudáveis.

Reservas financeiras

Na hora de trocar de carreira, o maior segredo, sem dúvida, é o planejamento financeiro. Se você já assumiu responsabilidades (leia-se contas e dívidas a pagar) e não pode contar com a ajuda da família, será preciso ter uma boa quantia de reserva para o período de transição.

Aprenda a investir na bolsa

Não é da noite para o dia que uma pessoa muda de profissão e se torna bem-sucedida. Em geral, levam-se anos para atingir a estabilidade, um bom emprego ou uma clientela cativa. A recomendação é ter um estoque de reserva para cobrir seus gastos familiares num período de dois anos e meio a três. Este é o tempo médio para você começar a recuperar o dinheiro investido num negócio e sair do vermelho.

Se você ainda não possui o suficiente para cobrir os gastos familiares durante esta época de transição, comece a reorganizar suas contas e a economizar durante algum tempo até atingir um valor considerável. Seguindo bem esses conselhos, procurar o sucesso numa outra carreira não implicará em descontrole financeiro e será possível encarar a fase de adaptação com maior tranqüilidade.

Planejando a mudança

Lembre-se, porém, que antes da tomada de qualquer decisão referente ao futuro profissional, é preciso pesquisar bem como anda o mercado para a nova carreira, com destaque para o longo prazo. O importante é fazer uma espécie de estudo de mercado para analisar como estará a profissão no futuro.

Além dessa análise de viabilidade, o ideal é começar com uma requalificação profissional antes de largar seu emprego atual. Iniciar uma faculdade à noite e continuar trabalhando durante o dia é uma estratégia utilizada por diversos profissionais. E isso não se aplica exclusivamente a um curso superior. Paralelamente, é possível entrar para uma escola de idioma, de informática ou, em casos mais radicais, outros cursos específicos como os de fotografia, comissário de bordo ou culinária.