Com perda de 101,7 mil postos de trabalho, este é o pior janeiro desde 1996

Segundo dados do Caged, nos últimos 12 meses, foram criadas 1,207 milhão de vagas, número 27% inferior a 2008

SÃO PAULO – O número de empregos formais no Brasil apresentou o pior saldo para janeiro na série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), desde 1996. Foram perdidos 101.748 postos de trabalho, o que representa queda de 0,32%, em relação ao mês anterior.

Além dos efeitos sazonais, principalmente no ensino e no comércio, no mês passado, o declínio no emprego assinala a continuidade dos desdobramentos da crise internacional, embora aponte certa reação em alguns setores, devido às medidas tomadas pelo governo.

Ainda segundo os dados do Caged, divulgados nesta quinta-feira (19), nos últimos 12 meses, apesar de terem sido criadas 1,207 milhão de vagas, o número é 27,03% inferior ao de janeiro de 2008 (+1,654 milhão de postos).

Crescimento setorial

PUBLICIDADE

Na análise mensal, os setores da Indústria de Transformação (-55.130 postos e -0,75%) e do Comércio (-50.781 empregos e -0,72%) foram os que mais contribuíram para a queda no nível de emprego em janeiro. Juntos, eles totalizaram um recuo de 105.911 empregos, ou seja, mais que a totalidade do país.

Em menor medida, o setor Agrícola, com perda de 12.101 postos (-0,78%), também contribuiu para o quadro negativo do emprego formal celetista no mês passado.

Os setores da Construção Civil, Serviços, Administração Pública e Serviços Indutriais de Utilidade Pública foram os que apresentaram desempenho positivo. Cada um apresentou geração de 11.324 (+0,59%), 2.452 (+0,02%), 2.234 (+0,29%) e 713 (+0,2%), respectivamente.

Análise regional

Segundo os dados do Caged, os estados que se destacaram com resultados positivos foram Santa Catarina (+6.407 vagas), Mato Grosso (+3.324) e Rio Grande do Sul (+2.798). Já entre aqueles que registraram recuo, destacam-se São Paulo (-38.676), Minas Gerais (-26.800) e Rio de Janeiro (-16.538).

No conjunto das nove áreas metropolitanas, o emprego decresceu 0,32% em janeiro, com a perda de 42.935 postos de trabalho, resultado inferior ao ocorrido no interior (-0,46% e -53.971 vagas).