AO VIVO Fernando Góes explica como funciona estratégia para multiplicar patrimônio com opções

Fernando Góes explica como funciona estratégia para multiplicar patrimônio com opções

Com aumento do mínimo, brasileiro trabalhou menos para comprar cesta básica

Em média, o trabalhador necessitou cumprir 102 horas e 16 minutos em março para adquirir os itens essenciais

SÃO PAULO – O brasileiro que recebe um salário mínimo teve de trabalhar um pouco menos no terceiro mês de 2008 para comprar os bens alimentícios essenciais. Esta redução, segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), pode ser justificada pelo aumento do mínimo em março, que passou de R$ 380 para R$ 415.

Em média, o trabalhador necessitou cumprir 102 horas e 16 minutos em março para adquirir a cesta básica, contra 110 horas e 18 minutos em fevereiro e 106 horas e 36 minutos no terceiro mês de 2007.

Os dados fazem parte da “Pesquisa Nacional da Cesta Básica”, divulgada nesta quinta-feira (3).

São Paulo trabalhou mais para pagar

Das 16 capitais analisadas, São Paulo foi a localidade onde as pessoas mais tiveram de trabalhar para conseguir comprar a cesta básica em março: 118 horas e 43 minutos.

Em seguida, vieram os residentes das cidades de Porto Alegre (114 horas e 34 minutos) e Rio de Janeiro (113 horas e 48 minutos). Já as cidades onde as pessoas menos tiveram de trabalhar foram Recife (88 horas e 04 minutos) e Aracaju (89 horas e 11 minutos).

Ranking

Confira, na tabela abaixo, o tempo de trabalho necessário para a aquisição da cesta básica no terceiro mês de 2008, por cidade:

PosiçãoCidadeHoras trabalhadas
São Paulo118h43min
Porto Alegre114h34min
Rio de Janeiro113h48min
Belo Horizonte113h10min
Vitória109h38min
Florianópolis107h20min
Brasília106h28min
Curitiba104h25min
Belém100h56min
10°Goiânia100h41min
11°Natal95h41min
12°Fortaleza92h50min
13°Salvador90h51min
14°João Pessoa90h02min
15°Aracaju89h11min
16°Recife88h04min

Fonte: Dieese