CNI: faturamento e horas de trabalho caem na indústria, mas utilização aumenta

Indicadores industriais de maio tem como destaque o faturamento do setor, que registrou queda de 1,3% na base anual

SÃO PAULO – A CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou nesta quarta-feira (6) seus indicadores industriais referentes ao último mês de maio, destacando a redução do faturamento real e das horas trabalhadas ao mesmo tempo em que a utilização da capacidade instalada e o emprego cresceram.

Segundo a confederação, “há um padrão de alternância entre queda e crescimento dos indicadores pesquisados desde janeiro de 2011, o que mostra a moderação da atividade industrial”. Entre as causas apontadas para essa variação, estaria a o efeito do calendários deste ano. 

No período, os indicadores dessazonalizados registraram queda do faturamento real (-1,3%) e das horas trabalhadas (-0,5%) na comparação com abril. Na outra ponta, a utilização da capacidade instalada da indústria reverteu as quedas recentes e avançou para 82,4% em maio, alta de 0,2 ponto percentual na passagem mensal.

PUBLICIDADE

Faturamento cresce 6,7%
A despeito da queda registrada na passagem de abril para maio, o faturamento real da indústria registra crescimento de 6,7% em maio, na comparação com o mesmo período do ano anterior. “O indicador continua a alternância entre queda e crescimento na variação mensal desde janeiro de 2011”, destaca a CNI.

O mercado de trabalho voltou a registrar crescimento, com variação de 0,4% em maio. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o crescimento foi de 3,1% e na média dos cinco primeiros meses deste ano, o indicador aponta alta de 3,6% frente ao mesmo período do ano anterior.

Já a massa salarial real e o rendimento médio real reverteram a queda de abril e apresentaram aumento de 1,8% e 1,1%, respectivamente. Na base de comparação anual, o indicador de massa salarial apresenta crescimento de 4,3% e o de rendimento médio real expansão de 1,2%.

Crescimento persiste
Dos 19 setores pesquisados pela CNI, somente 3 tiveram variação negativa do faturamento real frente a maio de 2010. O destaque do período ficou por conta do segmento de outros equipamentos de transporte, que viu seu faturamento real avançar 59,0% na base anual.

Ao mesmo tempo, a utlização da capacidade instalada cresceu nos segmentos de Vestuário, Produtos químicos, Minerais não-metálicos, Metalurgia básica e Produtos de metal na passagem de abril para maio, em comparação com o mesmo mês do ano anterior. “No mesmo período, sete setores registraram maior ociosidade do parque industrial”, afirma a CNI.

Por fim, o relatório afirma que a análise setorial não mostra a moderação da atividade revelada pelos indicadores dessazonalizados. “A análise setorial na comparação com o mesmo mês do ano anterior não reflete a moderação da ativdade industrial de 2011, como apontada pelos indicadores dessazonalizadas”, afirma o relatório da CNI.