Centrais sindicais se reúnem nesta terça para discutir reajuste do mínimo

Sindicalistas discutem posições a serem tomadas para a negociação sobre o mínimo e a correção da tabela do Imposto de Renda

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A discussão sobre o aumento do salário mínimo para R$ 580 ainda não está encerrada. Pelo menos para as centrais sindicais que, nesta terça-feira (11), voltam a se reunir na sede da União Geral dos Trabalhadores para debater o assunto.

Durante o encontro, os sindicalistas vão trazer à tona posições a serem tomadas para a negociação sobre o salário mínimo e a correção da tabela do Imposto de Renda.

“Nossa ideia é acertar o que será feito nas negociações do aumento do salário mínimo e também da correção da tabela do Imposto de Renda. Vamos definir ações no Congresso Nacional e mobilizações nos estados”, afirmou o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves.

Aprenda a investir na bolsa

Propostas
De acordo com informações da Agência Brasil, o sindicalista afirmou que ainda há margem de negociação no Orçamento Geral da União para um salário mínimo acima dos R$ 540.

“Com um salário mínimo melhor distribuído, pudemos sair mais rapidamente da crise. Conseguimos aumentar o poder de consumo dos trabalhadores”, lembrou Juruna.

Já existe um debate no Congresso Nacional para reajustar o salário mínimo acima da inflação, entretanto, a medida provisória que determina o novo valor deverá ser votada, apenas, em meados de março.

O salário mínimo de R$ 540 foi definido em 30 de dezembro por meio de medida provisória editada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.