Câmara avalia aumento de 25% para profissionais transferidos para o exterior

Valor será pago em transferências para cobrir custos adicionais de manutenções, em função do deslocamento para outro país

SÃO PAULO – A Câmara analisa o Projeto de Lei 1748/11, do Senado, que assegura ao trabalhador brasileiro um aumento salarial de 25%, caso ele seja transferido para o exterior. A proposta, de autoria do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), visa a cobrir eventuais custos extras que os profissionais possam ter, em razão do deslocamento para outros países.

Tal proposta não apenas altera a Lei 7.064/82, mas também traz vantagens aos trabalhadores brasileiros, que poderão ter o salário-base ajustado, acrescido de tal adicional. E os benefícios não param por aí.

De acordo com a Agência Câmara, ao retornar ao Brasil, os contratados poderão ainda reassumir as atividades profissionais, tendo seu salário acrescido de todos os reajustes salariais cabíveis à categoria durante a ausência do País.

PUBLICIDADE

Apenas poderão receber tais benefícios os empregados que prestarem serviços por um período superior a seis meses, estabece o projeto.

Procedimento
As empresas que tiverem interesse em enviar um profissional para o exterior deverão informar o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) com 60 dias de antecedência da data da contratação, conforme os termos do regulamento do ministério.

Além disso, será importante que a empresa se certifique dos serviços a serem oferecidos ao trabalhador em outro país, especialmente no que diz respeito à assistência médica local. “O projeto de lei acrescenta a possibilidade desses serviços serem substituídos por seguro-saúde na mesma modalidade fornecida aos empregados locais”, informa a Agência Câmara.

Tramitação
A proposta, que tramita em regime de prioridade, será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público e de Constituição e Justiça e de Cidadania.