[Braduni] Se você pedir aumento, vai ficar mal visto pelo seu chefe?

Depende de como o pedido de aumento for feito: analise se seu salário é realmente inadequado ou se está gastando demais

Aprenda a investir na bolsa

Faculdade, curso de idioma, transporte, alimentação, livros… Vida de universitário não é fácil, certo? Quando você menos espera, um novo gasto aparece. E o salário de estagiário nem sempre condiz com essa realidade.

Para quem não conta com apoio financeiro da família, a situação se complica ainda mais. No final, a única fonte a recorrer para equilibrar o orçamento, depois de já ter cortado todas as despesas possíveis, é a própria empresa em que trabalha.

Então, é neste momento que você resolve pedir um aumento para seu chefe. A questão principal é fazer a solicitação sem ficar mal visto. Por isso, o primeiro ponto a analisar é se o pedido tem fundamento: você está ganhando pouco mesmo ou levando um padrão de vida que não deveria?

Pontos a analisar

Aprenda a investir na bolsa

O consultor da LCZ Desenvolvimento de Pessoas e Organizações, Paulo Celso de Toledo Jr., indica que, antes de fazer o pedido, o universitário analise se o salário é compatível com o mercado no qual atua.

“Converse com profissionais de Recursos Humanos. Faça a sondagem com amigos que trabalham no mesmo ramo. Utilize tabelas salariais elaboradas por periódicos e por instituições que trabalham com recrutamento e seleção. Mais uma referência é o piso salarial estabelecido pelo sindicato de sua profissão, que é o mínimo a ser pago pelas empresas”, sublinha ele.

É preciso, ainda, analisar a sua situação na empresa. Antes de pedir um aumento, tenha certeza de que está atendendo a todas as expectativas da companhia. Questione se o seu desempenho não é satisfatório e, caso a resposta seja positiva, pergunte como melhorar. Somente depois de ter se superado é que deve partir para o pedido de aumento.

Depois da análise, ao pedido!

Munido de todas essas informações, é chegada a hora de realmente fazer o pedido. Comece solicitando uma explicação sobre como foi determinado o seu salário. Mostre uma postura firme e segura, o que só será possível se realmente tiver certeza do que está falando, daí a necessidade de preparo.

Mostre, também, o seu valor: ninguém melhor do que você para destacar os pontos fortes do seu currículo. Exponha suas qualidades e apresente a idéia de como poderia contribuir para o crescimento da empresa.

Depois da explicação, fale sobre sua insatisfação quanto ao seu salário, com muito jogo de cintura. Nada de criticar a empresa. Seja corajoso neste processo, o suficiente para que seu empregador se convença de que fará um bom negócio ao mantê-lo na empresa. Afinal, quem não gostaria de ter em sua equipe profissionais de postura firme e com poder de persuasão?

PUBLICIDADE

Se a resposta ao aumento for não, muita calma, pois nem tudo estará perdido. É neste momento que você deve insistir em algum benefício. Aceite as razões de seu chefe para não lhe dar o aumento, o que mostrará maleabilidade e que você está preparado para negociar. Quem recua pode vencer mais à frente.

Pense numa possível redução da jornada de trabalho. Como isso pode lhe gerar renda? Utilize o tempo livre a seu favor e realize outra atividade remunerada. Outra opção é o pagamento de determinadas despesas, como alimentação e o transporte que você gasta para ir trabalhar.

A resposta

Muitas vezes, a resposta ao pedido de aumento pode não ser imediata. Afinal, esta é uma decisão que precisará passar pelas áreas de Recursos Humanos e de Finanças da empresa. Por isso, nada de pressionar, o que realmente o deixaria mal visto.

Se a resposta for positiva, trate de reajustar seu orçamento à nova realidade. Por outro lado, se for negativa e suas finanças não puderem esperar, é chegado o momento de procurar por outra vaga no mercado de trabalho. O mais importante, se a resposta for não, é continuar tratando as pessoas da mesma maneira e cumprindo com suas obrigações. Mostre, acima de tudo, profissionalismo!