[Braduni] Conseguiu o primeiro emprego? Veja passo a passo como eliminar gastos!

Existem formas eficientes de não perder o controle sobre as finanças: fique de olho ao seu orçamento

Conseguir o primeiro emprego não é tarefa fácil para jovens brasileiros. Estudo recentemente publicado pelo economista Márcio Pochmann, professor da Universidade de Campinas, mostrou que, de 1995 a 2005, de cada cem pessoas com 15 e 24 anos de idade que entravam no mercado, 55 ficavam sem trabalho.

Dentro do universo dos 45% que conseguem a tão sonhada vaga, fica um novo desafio: controlar o orçamento. Muitas vezes, por estarem acostumados a pedir dinheiro aos pais, os inexperientes em controle das finanças acabam gastando mais do que deveriam – e do que ganham.

Poupe sempre

A primeira dica para quem recebe o salário é poupar ao menos 10% do total. Muitos jovens, com a alegria de ver o primeiro pagamento em mãos, acabam dando aquela velha e perigosa desculpa: “só vou gastar muito esse mês, afinal, é meu primeiro salário”.

PUBLICIDADE

Portanto, não espere o fim do mês para poupar o que sobrou. Já “coloque de lado”, na hora em que receber o dinheiro, o total a ser guardado. Por exemplo: se você ganha R$ 700, separe R$ 70 no dia do pagamento.

Criando o hábito de poupar parte do seu salário, você pode então começar a investir. Existem aquelas aplicações mais conservadoras, que garantem um pequeno rendimento mensal, mas risco reduzido de perdas, e outras mais ousadas, com maior retorno. Basta avaliar qual o seu perfil e suas necessidades.

Cheque especial e cartão de crédito? Eles podem ser seus aliados, e não vilões do seu orçamento, já que cabe sempre a você utilizar o crédito de forma responsável. A lição que você aprende agora, quando começa a lidar com o dinheiro efetivamente ganho com o seu esforço, será levada para a vida toda. Aproveite-a!

Receita x despesas

Uma prática muito falada, mas pouco seguida, é a elaboração de uma planilha de receita e despesas. Coloque no papel – ou no computador, para os adeptos da tecnologia – o quanto você ganha e o quanto você tem de gastos fixos. Supondo ainda que seu salário seja de R$ 700 mensais, já separe os 10% poupados.

De um lado, coloque a receita, que nada mais é do que o quanto você ganha. Do outro, denomine suas contas fixas e veja quanto sobra para comprar roupas, sair com os amigos e outros gastos. Essa conta deve ser feita no começo do mês, para que você possa se planejar e não sair fazendo dívidas que trarão muita dor de cabeça depois.

Tomando mais responsabilidade

E já que você está ganhando um salário agora, que tal dividir a responsabilidade de gastos maiores com seus pais? Ofereça-se para pagar o convênio médico, a academia de ginástica ou a ração do cachorro. Parece pouco? Toda ajuda cai bem quando se fala em manter em dia o orçamento familiar. Pense nisso!

Comece a programar melhor suas baladas e viagens, evitando (ou pelo menos reduzindo) as “solicitações de verbas” aos seus pais. Logo, eles perceberão a diferença… e você sentirá o gostinho de dar os primeiros passos em sua independência financeira. Sucesso!