Baixa remuneração faz encolher famílias de alta classe média no Brasil

Segundo levantamento, entre 2007 e 2008, a queda foi de 0,6 ponto percentual, passando de 8,1% em 2007 para 7,5%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A baixa remuneração para as atividades que exigem maior conteúdo tecnológico e formação acadêmica foi um dos motivos que fez com que diminuísse no Brasil, em 2008, o percentual de famílias de alta classe média, cujo membro melhor remunerado recebe acima de R$ 3.177.

Segundo informações preliminares de um levantamento realizado pelo economista e professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Waldir Quadros, em um ano, a queda foi de 0,6 ponto percentual, passando de 8,1% em 2007 para 7,5% no ano passado.

“O dinamismo econômico é desfavorável aos empregos melhor remunerados. A partir do momento que a pessoa passa a ganhar melhor, ela é substituída por outra”, explica.

Outras faixas de renda

Aprenda a investir na bolsa

Ainda de acordo com Quadros, cria-se, atualmente, mais empregos nas faixas de salários inferiores, sendo esta uma das explicações para o crescimento da baixa classe média (melhor salário da família entre R$ 635 e R$ 1.588) e da massa trabalhadora (melhor salário da família entre R$ 317 e R$ 635), que passaram, respectivamente, de 35,9% para 39,9% e de 32,9% para 33%, em um ano.

Já o percentual de miseráveis (salário inferior a R$ 317) diminuiu entre 2007 e 2008, saindo de 10,2% para 9,8%.

No mesmo período, a média classe média (membro melhor remunerado com ganho entre R$ 1.588 e R$ 3.177) se manteve estável, em 12,9%.