Apesar da crise, mais paulistanos terminam 2008 crendo em melhora da renda

Segundo pesquisa do Ibope, percentual aumentou 7 pontos percentuais entre janeiro e dezembro do ano passado

SÃO PAULO – Apesar da crise financeira internacional, o percentual de paulistanos que encerraram o ano de 2008 acreditando que sua renda irá melhorar nos próximos seis meses é 7 pontos percentuais maior do que o número verificado no início do ano passado.

Em dezembro, cerca de 38% dos moradores da cidade de São Paulo confiavam na melhora de sua própria renda, enquanto em janeiro do mesmo ano este percentual era de 31%. Os dados fazem parte de pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, entre 18 e 29 de novembro, com moradores da capital paulista maiores de 16 anos, e divulgada na última quinta-feira (22) pelo Movimento Nossa São Paulo, como parte das comemorações de aniversário da cidade.

Por outro lado, na mesma base de comparação, no primeiro mês do ano passado, 45% dos entrevistados previam uma piora nos índices de desemprego para os próximos seis meses, número que aumentou 18 p.p. em dezembro, alcançando 63% das respostas.

PUBLICIDADE

No que diz respeito à inflação, o comportamento foi o mesmo. Em dezembro, 67% das pessoas falavam em aumento dos preços, enquanto, em janeiro, este índice era de 56%.

Trabalho

O Ibope apurou ainda o tamanho do desejo dos paulistanos de mudarem de cidade e verificou que, em janeiro, 55% dos entrevistados, se pudessem, mudariam para outra cidade, contra 44% que não sairiam. Em novembro, as opiniões se inverteram, apontando 46% para os que sairiam e 53% para os que continuariam na metrópole.

Acompanhando a melhora da relação dos paulistanos com a cidade, o índice de satisfação das pessoas com a atividade econômica da capital paulista, o emprego e a carreira mostra que, em todos os quesitos, o número de paulistanos insatisfeitos diminuiu no decorrer do ano.

Em janeiro, aproximadamente 54% dos trabalhadores do município estavam descontentes com sua carga horária do trabalho. Onze meses depois, este percentual era de 53%. Já a insatisfação quanto a remuneração do trabalho passou de 64% para 60% no mesmo intervalo de tempo, como mostra a tabela a seguir:

Índice de insatisfação do paulistano
Jan/08Nov/08
Produtividade econômica da cidade46%45%
Carga horária do trabalho54%53%
Condições de saúde e segurança no trabalho57%55%
Oportunidades para pessoas de sua família de trabalho e geração de renda63%54%
Oportunidades para você de trabalho e renda62%54%
Oportunidade e condição de você participar de atividades de capacitação profissional62%54%
Oportunidade e condição de pessoas de sua família participarem de atividades de capacitação profissional63%56%
Remuneração do trabalho64%60%
Geração de empregos66%55%

Fonte: Ibope Inteligência