Apelação ou não: na procura por emprego, vale citar situação financeira ruim?

Para gerente de projetos do Grupo Foco, profissional não será prejudicado ao citar, mas apelação não adiantará nada

SÃO PAULO – Não é sempre que acontece, mas muitos selecionadores já ouviram um apelo financeiro por parte dos candidatos em uma entrevista de emprego. Eles estão com contas em atraso, dívidas nos bancos e não conseguem uma vaga no mercado. Por isso, acabam por citar o orçamento doméstico para pedir ajuda! Quais são as consequências da atitude?

De acordo com a gerente de projetos do Grupo Foco, Ercília Vianna, isso não acontece com frequência, mas existem casos, principalmente quando a pessoa está há muito tempo à procura de uma vaga no mercado de trabalho. “A gente entende porque a pessoa está ansiosa e a reação é natural. Agora, se insistir, a gente explica que isso não funciona no processo”.

Além dos “desesperados”, alguns gestores também apelam para a situação financeira, de maneira mais sutil.

Quando o dinheiro fala mais alto

PUBLICIDADE

Outro perfil que costuma apelar para a questão financeira é mais oportunista. “Muitos optam por uma nova oportunidade em função do dinheiro, exclusivamente. O desafio não é o mais importante. Se a gente vê que é isso, nem consideramos essas pessoas no processo seletivo”, disse a gerente de projetos.

Para evitar esse tipo de pessoa, algumas empresas pedem para que o salário e pacote de benefícios não seja divulgado, até determinada etapa da seleção. Ficam somente aqueles que estão interessados em atuar na companhia. A medida visa a diminuir a rotatividade de funcionários e analisar as reais pretensões do profissional.

Ercília afirmou que não vê problemas no profissional apelar para o orçamento doméstico na busca por um emprego. “Agora, tudo que é exagerado é inconveniente. O que vale é a capacidade do profissional e ele não vai ser beneficiado porque tem contas a pagar”.

A consultora de planejamento de carreira da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Melina Gras, disse considerar uma gafe a pessoa pedir para ser selecionado para a vaga porque está precisando de dinheiro, ou deixar demonstrar isso. “Todo mundo tem conta para pagar e ninguém contrata na base da apelação emocional”, afirmou.