Do contra

5 coisas que a Apple fez recentemente e que Steve Jobs detestaria

A caneta eletrônica que acompanha o iPad Pro é apenas uma das vontades de Jobs que a Apple contrariou

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Na última quarta-feira (9), em evento gigantesco, a Apple apresentou os novos modelos do iPhone, do Apple TV e o novo iPad Pro, um tablete de 12 polegadas que vem acompanhado de uma caneta eletrônica, voltada para trabalhos de desenhistas, artistas, designers, etc.

O que poucas pessoas sabem, entretanto, é que o já falecido CEO e cofundador da Apple, Steve Jobs, odiava as canetas eletrônicas. Desde a morte de Jobs, em 2011, a Apple tem ido contra muitas das crenças do CEO, criando produtos e estratégias que ele nunca consideraria.

Confira quais:

PUBLICIDADE

Caneta eletrônica
Segundo o CNN Money, em 2007, ao introduzir o iPhone em evento, ele tirou sarro de outros smartphones da época que vinham acompanhados da tal caneta – chegando a enfatizar que ela só seria criada “sob meu corpo morto”. A caneta foi aparecer apenas neste ano, com o iPad Pro.

Tablets pequenos
Foi em 2010 que Jobs mostrou ter desdém por tablets de menor tamanho que poderiam ser lançados. No mesmo ano, durante a reunião de ganhos da Apple com analistas, ele afirmou que o iPad de 10 polegadas era o de tamanho mínimo para criar bons aplicativos para ele. Após sua morte, a empresa introduziu o iPad mini – que, de longe, foi o mais vendido da empresa. Um erro de Jobs. 

Celulares grandes
Também em 2010, quando um repórter perguntou a Jobs se a empresa considerava criar um iPhone maior, ele negou – “ninguém vai comprar isso”. Um ano após sua morte, a Apple lançou o iPhone 5, maior que o iPhone 4, e logo em seguida os modelos 6 e 6 Plus, muito maiores. Mais uma vez, Jobs estava errado: o iPhone 6 é o modelo mais vendido da empresa. 

Design de software não-realista
Jobs desejava que o software do iPhone fosse semelhante à vida real. Por exemplo, o aplicativo de E-mail tinha um fundo branco, a iBookstore vinha com estantes de madeira e o de Notas deveria ser semelhante a um bloco real. Com seu falecimento, o executivo de software Scott Forstall, responsável pelo design que Jobs pedia, foi demitido – e, um ano depois, foi introduzido o iOS 7, que acabou com todas essas ideias do ex-CEO.

Filantropia
Uma das primeiras coisas que Jobs fez ao retornar à Apple, em 1997, foi acabar com os programas de filantropia da empresa. Segundo o próprio, ele queria fazer da Apple uma empresa lucrativa novamente, mas mesmo quando a Apple conseguiu um dos maiores lucros já registrados por uma empresa pública, ele nunca reinstalou os programas. Quando Tim Cook assumiu seu posto, em 2011, uma de suas primeiras ações foi trazer de volta o programa de doação da Apple.

 

PUBLICIDADE

Leia também

Descubra qual é a aplicação financeira de risco baixo mais rentável

Imóvel é sempre bom negócio? Teste mostra que alugar é melhor

Seu carro facilmente lhe custa R$ 2.500 por mês. Duvida?

Quanto custa realizar cada um de seus sonhos? Descubra