Conteúdo editorial apoiado por

Elon Musk desiste de processo contra OpenAI e Sam Altman  

O bilionário abriu processo alegando que o projeto, do qual foi cofundador, se afastou da ideia original

Equipe InfoMoney

Elon Musk, CEO da Tesla (Gonzalo Fuentes/Reuters)

Publicidade

Elon Musk desistiu de seu processo contra a OpenAI e dois cofundadores da empresa, protocolado em março em um tribunal da Califórnia. O bilionário abriu a ação alegando quebra de contrato e dever fiduciário.

Segundo Musk, Sam Altman e Greg Brockman abandonaram a missão original da empresa de desenvolver inteligência artificial para o bem da humanidade, e não visando lucro. O dono da Tesla foi cofundador da OpenAI em 2015, mas deixou o conselho da empresa em 2018.

Diversifique investindo no Brasil e no exterior usando o mesmo App com o Investimento Global XP

Continua depois da publicidade

Em seu processo, o bilionário alegava que o projeto foi transformado em uma entidade com fins lucrativos amplamente controlada pelo principal acionista, a Microsoft. Musk usou grande parte da petição de 35 páginas (mais anexos), para recordar sua posição na criação da empresa que se tornou uma das startups mais famosas do planeta graças à popularidade do ChatGPT.

Uma audiência foi marcada para que um juiz analise se o caso deve ser arquivado conforme solicitado pelos réus, incluindo Altman e Brockman, atual CEO e presidente da OpenAI, respectivamente.

Especialistas disseram ao portal americano CNBC que o caso foi construído sobre uma base jurídica questionável, porque o contrato central no processo não era um acordo formal por escrito, assinado por todas as partes envolvidas.

Continua depois da publicidade

“É certamente uma boa propaganda para Elon Musk”, disse Kevin O’Brien, sócio do escritório Ford O’Brien Landy, à CNBC. “Mas não tenho certeza sobre a parte legal”.

No ano passado, Musk abriu sua própria startup de IA e concorrente da OpenAI, a X.AI, que no mês passado anunciou uma rodada de financiamento Série B de US$ 6 bilhões.