Conteúdo editorial apoiado por

Blackstone muda área de crédito corporativo em busca do primeiro trilhão

Unidade, que possui US$ 300 bilhões sob gestão, acelerou crescimento nos últimos anos e diretoria acredita que possa mais que triplicar volume em uma década

Bloomberg

Publicidade

A Blackstone anunciou na terça-feira (12) mudanças profundas em sua unidade de crédito, à medida que a gigante de private equity busca se tornar uma maior potência de empréstimos.

A empresa está em curso com uma estratégia de consolidar o segmento de crédito empresarial. Neste sentido, a casa promoveu Gilles Dellaert, antigo chefe da área de seguros, para liderar a unidade de crédito, que tem cerca de US$ 300 bilhões sob gestão, com a meta de alcançar US$ 1 trilhão dentro de uma década. Dellaert se reportará ao antigo head da área, Dwight Scott, que será o CEO desta unidade.

A Blackstone, liderada pelo CEO Steve Schwarzman, é mais conhecida por apostas de aquisição e investimentos imobiliários icônicos. Utilizando o dinheiro das seguradoras e de investidores ávidos por rendimentos, tornou-se um grande financiador por direito próprio, refletindo uma mudança no equilíbrio de poder em Wall Street, à medida que os gestores de ativos alternativos superaram os bancos regionais e dos centros monetários como credores.

Escritório da Blackstone, em Nova York: gestora quer acelerar oferta de crédito empresarial (REUTERS/Jeenah Moon)

Os líderes da empresa prevêem que o crédito, que representa atualmente cerca de um terço dos ativos sob gestão, crescerá mais rapidamente do que outras linhas de negócio. A integração mais rigorosa das operações de crédito poderia tornar mais fácil para as seguradoras, fundos de pensão e outros investidores recorrerem à Blackstone para uma variedade de estratégias de empréstimo, disseram executivos em entrevistas.

A empresa planeia criar mais estratégias multiativos – que podem desde obrigações empresariais a títulos garantidos por ativos, bem como empréstimos complexos. Entretanto, ajudará os negociadores a fornecer financiamento flexível e empréstimos a preços.

O papel de Gray

Desde que se tornou COO e presidente executivo da Blackstone, há cinco anos, Jon Gray centralizou os processos de investimento e pressionou para alargar a plataforma de crédito da gestora para além das suas raízes de investidores em dificuldades. Seu objetivo é fazer da Blackstone uma empresa de financiamento dominante que possa colocar dinheiro para trabalhar em todos os mercados.

Com o tempo, a empresa eliminou alguns dos estilos de investimento rígidos que herdou da compra da GSO Capital Partners em 2008 e transformou-se numa fonte de crédito mais ampla. A mudança de Scott para presidente – que fazia parte da GSO antes de a Blackstone comprar a empresa de investimento em dívidas – é um símbolo de como a Blackstone está a deixar ainda mais para trás as suas raízes anteriores de GSO. “Estamos em uma jornada para construir um rolo compressor de crédito privado de alto desempenho”, disse Gray.

No início deste ano, a Blackstone atingiu US$ 1 trilhão em ativos sob gestão. Agora Gray enfrenta uma questão: como poderá atingir o próximo trilhão e continuar a desenvolver um negócio de crédito que já duplicou nos últimos três anos?

A Blackstone originou mais empréstimos com grau de investimento para clientes de seguros. Expandiu seu alcance no negócio de empréstimos garantidos por coisas como painéis solares e aviões. É também o maior supervisor de obrigações de empréstimos garantidos, gerenciando e empacotando pacotes de empréstimos.

“Não há razão para que estas linhas não possam ser maiores”, disse Dellaert, que espera um “crescimento exponencial” nos negócios de crédito.

© 2023 Bloomberg LP

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tópicos relacionados