Conteúdo editorial apoiado por

HSI estuda compra do Hotel Hilton Copacabana

Negociação junto ao Blackstone foi submetida à análise prévia do Cade

Lucinda Pinto | Rikardy Tooge

Publicidade

O grupo HSI estuda a compra do Hotel Hilton Copacabana, que hoje pertence a outro fundo, o Blackstone. A possibilidade dessa aquisição foi submetida a consulta prévia ao Cade e sua negociação está na fase final, segundo fonte próxima à operação. O valor da transação não foi informado.

Se concluído o negócio, o hotel terá seu capital integralmente detido por um fundo de private equity gerido pelo HSI, cujo único cotista será o Grupo GIC Realty, segundo o documento apresentado ao Cade. “A operação proposta está em linha com a estratégia do HSI de ampliar e diversificar seu portfólio de investimentos”, diz o documento.

O Blackstone adquiriu o Hilton Copacabana em 2017. Até então, o hotel era gerido pela rede Windsor. O documento enviado ao Cade afirma que a operação representa para o vendedor uma “boa oportunidade de negócios”, em linha com os objetivos dos investimentos estratégicos da Blackstone de, oportunisticamente, comprar e vender imóveis.

O Hilton Copacabana tem 545 quartos. O negócio envolve também a aquisição de 69 vagas de garagem. Não seria a primeira operação do HSI no setor hoteleiro: a gestora detém também o Ibis Styles Botafogo, no Rio. E, em 2020, adquiriu o Hilton do Brasil, em São Paulo.

O negócio está sendo discutido em um momento de recuperação dos hotéis no Brasil, após um período bastante negativo em função do isolamento social imposto pela crise da Covid. Segundo dados da Hotéis Rio, associação que reúne os hotéis do Rio, a ocupação média da rede da região ficou acima de 80%, superando assim os níveis pré-pandemia.

Procurados, HSI e Blackstone não se manifestaram.

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Lucinda Pinto

Editora-assistente do Broadcast, da Agência Estado por 11 anos. Em 2010, foi para o Valor Econômico, onde ocupou as funções de editora assistente de Finanças, editora do Valor PRO e repórter especial.